Homem

Músicas Interessantes.

3.859 posts neste tópico

@Ivan de Almeida, já ouviu as obras vocais de Bach (Missa em Si menor, Paixão segundo S. Mateus etc.)? Ou prefere as instrumentais?

Aqui o final, em trio, de uma cantata que ele compôs em homenagem... ao café:

 

Die Katze lässt das Mausen nicht,
Assim como o gato não deixa o rato,
Die Jungfern bleiben Coffeeschwestern.
As jovens continuam viciadas em café.
Die Mutter liebt den Coffeebrauch,
A mãe ama tomar seu café quente,
Die Großmama trank solchen auch,
E a avó também bebe a sua xícara.
Wer will nun auf die Töchter lästern?!
Quem póde culpar as filhas por isto?!

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

 

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Taí, Ati, gostei, embora seja uma obra-brincadeira. Não é o tipo de música hã... erudita que gosto, mas tá, tá valendo. Obrigado

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Excelente, Brancaleone! O momento é esse mesmo, não fica um... E esta música é ótima e a execução idem.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Já que foi falado em Bach, aqui uma banda de rock que foi bastante influenciada pela música "clássica":

 

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Anos 70... Ouvi muito o King Crimson e um monte de outras coisas. Mas, bem ou mal, depurei. Hoje em dia ouço pouco os desse tipo, ouço clássicos, blues, jazz e músicas estranhas orientais. E o Bob Dylan, é claro, de quem tenho muitos discos. Outros eu perdi o saco, o Eric Clapton é um, é bonzinho mas tem certa chatura, tirando o 461 Ocean Boulevard que é um disco muito bom. Termino  não botando para tocar. Paradoxalmente o Cream foi o primeiro grupo que adorei, lá na época.

Tem muitos que gosto mas não ponho para tocar. Beatles, Stones, o único disco bom do Yes (o verdão na capa). Ouço um pouco, bem pouco, do Pink Floyd, especialmente o Ummagumma que é um caso isolado deles. Tem vários discos deles que gosto, poucos acho chatos. Mas termino só no Ummagumma. Aliás, mudando de assunto, indo de trem para Londres passei num lugar onde tinha aquela fábrica de quatro chaminés que é capa de um disco deles. Animals.

Na verdade, há muita coisa que gostamos, mas ouvirmos... Ouvimos menos, acho. Se for selecionar só os CDs ouvidos dariam no máximo cinquenta, nem isso. Há épocas de tipos de música. Passa a época, deixamos de lado. No carro já é um desses trecos de memória que espeto no aparelho, e está lá há vários anos, escuto sempre a mesma coisa.

Em casa, embora o sonzinho não seja ruim (é um valvulado com caixas legaizinhas), ligo aquilo uma vez por semana. Tem períodos que ligo todo dia por uns 4/5 dias, mas tem mês inteiro sem usar. Escuto música sozinho na sala, sem conversas, sem leitura, só escuto.

O passado passou. Fui assistir o Paul McCartney lá longe, nos fundos da Barra da Tijuca há uns quatro ou cinco anos, sei lá (pode ser seis), tá bom, foi bem legal, mas não marcou minha memória. Peguei um congestionamento foda para conseguir chegar e sair, e ainda peguei aquele túnel do início da Barra - São Conrado fechado para obras, olha só...

Acho que a música ao vivo que mais me tocou nos últimos tempos foram as ditas clássicas de grupos pequenos. Poucas gravações de orquestra grande eu gosto, acho que é uma diferença muito grande entre o som ao vivo e o tocado em casa e é difícil uma orquestra grande de primeira. Um disco maravilhoso que tenho é um do Claudio Arrau tocando Beethoven, "Imperador". Tenho  cinco do Horowitz muito bons, também, comprados ao acaso, isto é, o que encontrava nas lojas.

Enfim...

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

A questão toda é subjetiva; além disso, como colocou, há coisas que se gosta e depois não se gosta mais. Acho que não há 2 pessoas no mundo, talvez mesmo gêmeos idênticos, com os mesmos gôstos musicais/artísticos. Deste ponto de vista, podemos dizer que somos únicos e especiais, na diversidade. O que acho um tanto triste é a chamada "indústria cultural", de massa, ser conservadora, não ousar mais, não que tudo que é "de massa" seja ruim. Mas hoje há a internete para se descobrir coisas novas.

4 horas atrás, Ivan de Almeida disse:

Outros eu perdi o saco, o Eric Clapton é um, é bonzinho mas tem certa chatura, tirando o 461 Ocean Boulevard que é um disco muito bom.

Tava ouvindo estes dias:

 

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

So I run to the Lord, please hide me, Lord / Don't you see me prayin'? / Don't you see me down here prayin'? / But the Lord said "Go to the devil" / He said "Go to the devil" / All along dem day / So I ran to the devil, he was waitin' / Ran to the devil, he was waitin' / All on that day

 

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar Agora