Brancaleone J

Senhores e Senhoras, uma solução por favor...

196 posts neste tópico

Cara, que vespeiros vcs estão entrando... Presídios, bandidos, Direitos Humanos, vítimas, é um balaio de gatos sem precedentes...

Preso também pode ser aquele que matou um bandido dentro de casa!  Se vc matar um fdp desses dentro da sua casa e ele ainda estando armado... fodeu a sua vida! Essa é a nossa maldita Lei! O único que tem permissão para matar é o bandido, se vc matar um bandido em legítima defesa dentro da sua própria casa, e se for flagrante, vc vai ser preso e já virou bandido! Os Direitos Humanos defendem tanto esses merdas que agora se formos mexer nisso, vai dar mais merda ainda... Assunto espinhoso e polêmico!

3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Poccnn, eu entendi tudo o que disse e eu poderia argumentar em cima do que disse, porém não vejo como avançaríamos sem antes determinar os nossos valores por que essa questão é essencialmente uma questão de valores, de certo ou errado. Deixa eu tentar demonstrar a minha frustração. Você começa pela sociedade, dizendo que esse individuo causou algum mal a essa sociedade e que isso é errado, eu aqui poderia dizer que não acho, acho que a sociedade causou um mal a ele(argumento de alguns, que o @Ricardo Sandre mencionou) , não é o que eu estou dizendo, mas não temos como mover se eu não lhe demonstrar o porque eu acredito que tal coisa é errada ou importante. Não é o ideal, mas vou copiar o que disse e vou ver se você me demonstra aonde você discorda da minha lógica ou aonde você adiciona ou retira alguma coisa, talvez como menciona custo constantemente para você o capital talvez seja um principio, e eu gostaria de saber o porque ou demonstre um caminho completamente diferente, para mim não importa, mas preciso saber o como chega ao seu valor, se quiser é claro.

Citar

Como você faz para saber se está sendo lógico ou não? Bem, a única forma que eu conheço é regredir para os seus pressupostos, não é necessário regredir ao "penso, logo existo" em todo caso, mas seus valores básicos ao meu ver precisam ser sempre coerentes. Vou demonstrar como eu concluo o que fazer no caso de um criminoso com uma regressão básica e resumida: a lógica é importante, assumo as leis da lógica como corretas e essenciais, verdades são melhores que o oposto, saúde é melhor que o oposto e bem estar é melhor que o oposto(minha definição de moralidade), aceito também a evidência de que as duas ultimas são de importância universal, pois não consigo concluir diferentemente em vista tudo o que sei sobre outros seres vivos. Sendo assim, alguém que agir de forma á denegrir a saúde e o bem estar de outros é um detrimento á comunidade que desejo viver, logo se me for evidente que o mesmo possa se repetir, aceito a reclusão dessa pessoa até que tal risco não seja mais inaceitável. Aceito aqui também argumento para que prisões sejam feitas de forma preventiva e dissuasivas, porém desde que esses benefícios sejam muito bem evidenciados. Agora excluir essas pessoas do meu pressuposto de saúde e bem estar se não por motivo de clara praticidade seria ao meu ver errado e incoerente, logo ilógico pois eu precisaria contradizer, aqueles pressupostos.

 

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
11 minutos atrás, Renato disse:

Cara, que vespeiros vcs estão entrando... Presídios, bandidos, Direitos Humanos, vítimas, é um balaio de gatos sem precedentes...

Preso também pode ser aquele que matou um bandido dentro de casa!  Se vc matar um fdp desses dentro da sua casa e ele ainda estando armado... fodeu a sua vida! Essa é a nossa maldita Lei! O único que tem permissão para matar é o bandido, se vc matar um bandido em legítima defesa dentro da sua própria casa, e se for flagrante, vc vai ser preso e já virou bandido! Os Direitos Humanos defendem tanto esses merdas que agora se formos mexer nisso, vai dar mais merda ainda... Assunto espinhoso e polêmico!

Se vc matar um fdp desses dentro de sua casa, compra um galão de ácido clorídrico pra dissolver o corpo numa banheira e os restos bestiais queima numa fogueira de São João.:D

 

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
8 horas atrás, Ricardo Sandre disse:

Não se engane, eu executo um trabalho de auditoria em ideologias exóticas e ideias esdrúxulas. Se a vidraça for frágil, vai quebrar e ruir. :P

Mas o meu trabalho de auditor é no sentido de ajudar vc a saber pensar. 

Você é mais neutro (quando o assunto não é Marx) que Hélio, concorda com tudo, mesmo caindo em contradição. Eu já sei pensar e não de uma forma pusilânime, obrigado.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, Dimas B L disse:

Você é mais neutro [...] que Hélio, concorda com tudo, mesmo caindo em contradição.

O Sandré é um fingidor 

Finge tão completamente 

Que chega a fingir que é dor

A dor que deveras sente. 

:D

1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
3 horas atrás, Renato disse:

Se vc matar um fdp desses dentro da sua casa e ele ainda estando armado... fodeu a sua vida!

Calma lá! Quero saber de UM caso em que o morador/proprietário matou o bandido invadinte armado e foi preso.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
12 minutos atrás, Atik Yomin disse:

matou o bandido invadinte armado e foi preso.

Preso talvez não vá, mas vai se incomodar pra cacete, gastar com advogado e ser extorquido  por policiais, oficiais de justiça...

Eu  sou a prova disso. Abadon, meu Rottweiler mascou bem mascadinho um sujeito que pulou o muro de dois metros e entrou na minha casa em Curitiba.  Foi e às vezes ainda é um saco. Teve investigação, polícia, foi até pro fórum.  teve até ordem pra mandar o cachorro pro canil municipal - mas alguém deixou o portão de casa aberto e o Abadon  saiu pra rua e sumiu, nunca mais apareceu...

Certo tá um policial amigo meu; " cara, usa calibre 22.  Atira no estômago. O cara  não morre  na hora, sai correndo, vai morrer de hemorragia longe da sua casa..."

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
2 minutos atrás, Brancaleone J disse:

"cara, usa calibre 22.  Atira no estômago. O cara  não morre  na hora, sai correndo, vai morrer de hemorragia longe da sua casa..."

Boa dica ;)

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

se puder e/ou tiver habilidade, faz uma cruizinha funda na ponta da bala. Até um estilete de papel faz isso. Ajuda a bala despedaçar quando atinge o alvo. Nos calibres maiores - projéteis de chumbo  puro, não encamisados- também impede que  o alvo seja atravessado,  minimizando o risco de atingir inocentes/reféns.

Quando se tratar de munição "jaquetada" tipo de pistolas,  opte sempre pela munição halow point. Ou "com um furo na ponta"  cumpre a mesma função das cruzinha nos projéteis de chumbo puro...

Ao contrário do que possa parecer, para um amador não acostumado com uso de armas de fogo, a quantidade de projéteis disponíveis na hora do tiroteio é muito mais eficiente que o calibre. Calibres acima de .32 ou 7,65  dão "coices"  fortes e cabem poucas balas nos pentes.

Eu  sugiro uma Colt Woodsman.

Mas a que eu tenho ( e consegui registrar e agora peleio pelo porte) é a pequena, magnifica e portabilíssima Taurus PT 51, com pentes de seis  balas ou se conseguir, o pente com 18 balas...

1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 18/07/2017 at 15:37, Galindo disse:

Bem me desculpe sobre a acusação se houve alguma ofensa, não foi a intenção.

Não precisa se desculpar, não há ofensa alguma. Eu só chamei a atenção para aquela sua frase a fim de evitarmos que o debate caminhe para qualquer lado que não seja a troca de opiniões e pensamentos.
 

Citar

Achei que estava claro o que estava dizendo sobre a similaridade já que tinha dito varias vezes e fui ignorado(sobre as perguntas exclusivamente, porque você prosseguiu o debate), até porque você diz que discorda de mim, mas eu espuis todo o meu argumento e você não discordou dele, apenas disse repetidamente que a sua conclusão é diferente da minha, continuo sem saber o porque.

 Eu precisaria que vc fosse um pouco mais específico nessa parte onde diz que continua sem saber o porque, afinal eu acho que já respondi bem detalhadamente. Inclusive usei aqueles exemplos justamente para facilitar esse "porque" que vc se refere. 

Mas desejo fazer um cometário adicional aqui. Um dos pontos que talvez seja de grande antagonismo entre nossos pensamentos nessa questão da psicopatia ou qualquer outra motivação de atos hediondos contra terceiros, é que para vc o fato da "não culpabilidade" em si do sociopata pelas suas ações hediondas é relevante no ponto de vista da aplicação de uma pena qualquer, já para mim não é. Se temos um elemento na sociedade que mata aleatoriamente e cruelmente as pessoas normais dessa sociedade, esse elemento deve ser definitivamente apartado da sociedade independente das motivações da sua sociopatia e de não ser algo controlado ou escolhido por ele. Isso para mim é inegociável (intelectualmente falando) e nem tenho interesse em prosseguir uma discussão com quem pensa o contrário. Meu interesse nessa discussão é a forma como o Estado irá garantir que esses elementos jamais toquem um dedo num cidadão novamente, e foi nesse ponto que eu mencionei as alternativas as quais moralmente não me impactam, sejam elas mantendo o elemento em cárcere perpetuamente ou aplicando uma injeção letal para que deixe de existir (há quem diga que a manutenção em cárcere privado perpétuo é mais desumano que a injeção letal, considerando que tal elemento JAMAIS irá ser liberado para conviver em sociedade). Já alcançar as respostas do porque o sociopata é assim ou assado e de como atingiu tal sociopatia, cabe a ciência, a medicina, a psiquiatria, a psicologia... whatever,  estudar, entender e concluir. Ao Estado cabe apenas garantir a segurança. E antes que alguém venha dizer que para haver coerência na questão cabe a esse mesmo Estado garantir a segurança do sociopata também, eu respondo que a questão é de cunho utilitarista, civilizatório e social. Não sou defensor da pena capital como pode estar parecendo, mas sim da exclusão total e definitiva desses elementos da sociedade, e a maneira como isso será feito é que é a grande geradora de polêmica entre as pessoas.     

Aí mediante isso tudo vc parece ter ficado bastante discordante do fato de uma pessoa (como eu) ser simpatizante dos direitos humanos e concomitantemente a isso não se importar com as tais penas para os criminosos hediondos. Vc considerou até ilógico o meu posicionamento e eu te expliquei que no meu ponto de vista não é não e usei inclusive aquela série de exemplos justamente para facilitar a explanação (e ainda admiti que da minha parte não me importo se quiserem achar contraditório). Por tudo isso eu francamente não sei onde está faltando a resposta que poderia acabar com esse seu "continuo sem saber o porque". Na verdade a resposta é simples. Estamos tratando de um assunto da área de humanas, comportamental, social e de noções também humanas sob o utilitarismo social entre os seres vivos. Não vou usar o mesmo "peso e medida" para criticar o abatedor de bois que comemos que usaria para criticar o maníaco que enfia um graveto no olho de um gatinho por puro sado prazer. Não adianta exigir concordância geral dos outros utilizando a crítica da coerência/incoerência que vc utiliza, sobretudo a lógica, pois é possível sim ter opiniões distintas sobre este tema sem estar afrontando lógica alguma (tão somente a lógica que está na sua cabeça, talvez, assim como na minha e de cada um aqui). 

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
17 horas atrás, Galindo disse:

@Poccnn, eu entendi tudo o que disse e eu poderia argumentar em cima do que disse, porém não vejo como avançaríamos sem antes determinar os nossos valores por que essa questão é essencialmente uma questão de valores, de certo ou errado. Deixa eu tentar demonstrar a minha frustração. Você começa pela sociedade, dizendo que esse individuo causou algum mal a essa sociedade e que isso é errado, eu aqui poderia dizer que não acho, acho que a sociedade causou um mal a ele(argumento de alguns, que o @Ricardo Sandre mencionou) , não é o que eu estou dizendo, mas não temos como mover se eu não lhe demonstrar o porque eu acredito que tal coisa é errada ou importante. Não é o ideal, mas vou copiar o que disse e vou ver se você me demonstra aonde você discorda da minha lógica ou aonde você adiciona ou retira alguma coisa, talvez como menciona custo constantemente para você o capital talvez seja um principio, e eu gostaria de saber o porque ou demonstre um caminho completamente diferente, para mim não importa, mas preciso saber o como chega ao seu valor, se quiser é claro.

 

A diferença entre o meu argumento e o seu argumento é que eu parto do pressuposto que os cidadãos tem que ter direitos preservados para o bem estar dele e quem ir contra isso não deve usufruir dos direitos de cidadão. 

Partimos de pressupostos diferentes, por isso chegamos a conclusões diferentes.

Agora poderiamos então entrar na discussão do por que desse pressuposto?

Eu te faço essa pergunta: por que tu achas que o bem estar tem que ser dado a todos?

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Citar

poucas balas nos pentes.

Como é que eu ponho isso:

images?q=tbn:ANd9GcQ5tVtdFr2QrXWHe3_43OT

 

Nisso:

images?q=tbn:ANd9GcTuG1lU13OCJ-fNR9N5GlB

:D

 

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
13 horas atrás, Atik Yomin disse:

Calma lá! Quero saber de UM caso em que o morador/proprietário matou o bandido invadinte armado e foi preso.

Talvez por falta de divulgação... dá merda sim, pois não se pode ter armas nem dentro de casa... e flagrante com arma dá cadeia, ainda mais matando alguém até dentro da sua casa...

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
15 horas atrás, Atik Yomin disse:

O Sandré é um fingidor 

Finge tão completamente 

Que chega a fingir que é dor

A dor que deveras sente. 

:D

Mas eu sou monarquista e se possível quero ser EL REI. :P

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
17 horas atrás, Atik Yomin disse:

O Sandré é um fingidor 

Finge tão completamente 

Que chega a fingir que é dor

A dor que deveras sente. 

:D

Preciso ver o lado cômico mesmo, he he. 

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 19/07/2017 at 10:48, Poccnn disse:

A diferença entre o meu argumento e o seu argumento é que eu parto do pressuposto que os cidadãos tem que ter direitos preservados para o bem estar dele e quem ir contra isso não deve usufruir dos direitos de cidadão. 

Partimos de pressupostos diferentes, por isso chegamos a conclusões diferentes.

Aonde isso se encaixaria? Antes da lógica ou antes da saúde e do bem estar? Bem vou expor o por que de qualquer forma para mim não faria sentido, o único motivo que eu vejo para se desejar e formar uma sociedade e se impor regras(leis) seria para manter os princípios que eu expus, usando a lógica e seus princípios como ferramenta, eu formaria uma sociedade para maximizar a verdade, a saúde e o bem estar, por que outro motivo eu viveria em sociedade na ausência ou contradição desses pressupostos?

Em 19/07/2017 at 10:48, Poccnn disse:

Eu te faço essa pergunta: por que tu achas que o bem estar tem que ser dado a todos?

É uma simples dedução, eu pressuponho de forma indutiva usando minhas experiências de alteração de saúde e "estar" e determino minhas preferências, imagino que você ira entender o que digo quando prefiro um melhor bem estar e uma melhor saúde, essa confiança na nossa concordância se deve a imensa evidência de que tais conclusões são os mesmos para uma quase unanimidade entre seres humanos, logo universalmente preferimos o mesmo quanto a saúde e bem estar. Logo concluo que se eu prefiro isso e desejo viver de forma a maximizar isso e por isso criaria ou aceitaria ferramentas como sociedade e leis, tal processo só pode ser coerente se eu aplicar isso á todos, se não eu necessariamente teria que a partir de agora voltar aos meus princípios e impor limites de coisas que desejo para mim mas não desejo á outros, mesmo de frente á evidência que os mesmos também desejam o mesmo, a unica exceção seria por motivo de clara praticidade(algo que criaria uma impossibilidade se manter os princípios), como indivíduos que vão contra os meus pressupostos, portanto aceito a reclusão desses indivíduos perante clara evidência do risco aos meus pressupostos, ai termina a necessidade pratica, adicionar qualquer outra forma de denegrir a saúde e o bem estar de outro ser humano, necessariamente deveria ser de clara necessidade para se manter os pressupostos. Você concorda com a evidência que tais desejos são universais? Se sim, com decide que outras coisas tem precedência á esse desejo perante outros?

Em 19/07/2017 at 10:30, Russell disse:

Eu precisaria que vc fosse um pouco mais específico nessa parte onde diz que continua sem saber o porque, afinal eu acho que já respondi bem detalhadamente. Inclusive usei aqueles exemplos justamente para facilitar esse "porque" que vc se refere. 

Isso é puramente epistemológico, minha dúvida é porque acredita no que acredita. Você consegue entender o porque eu acredito no que acredito nesse caso, usando o caminho que expus? Se sim, você concorda que eu não tenho acesso á esse caminho da sua percepção, se não, aonde esta a dúvida?

Obs: já tinha digitado tudo, quando conclui, que na verdade a nossa concordância é bem maior do que a nossa divergência e acho que estamos aqui debatendo coisas provavelmente desnecessárias, vou manter o que digitei por pena de apagar, mas acho que se focarmos em como concluímos nossos valores poderíamos tentar convergir de forma mais efetiva, você acha que é importante saber o porque acredita no que acredita? Se sim, consegue demonstrar seu processo, mesmo que usando o meu(no que disse ao poc detalhei ainda mais)?

Em 19/07/2017 at 10:30, Russell disse:

Mas desejo fazer um cometário adicional aqui. Um dos pontos que talvez seja de grande antagonismo entre nossos pensamentos nessa questão da psicopatia ou qualquer outra motivação de atos hediondos contra terceiros, é que para vc o fato da "não culpabilidade" em si do sociopata pelas suas ações hediondas é relevante no ponto de vista da aplicação de uma pena qualquer, já para mim não é.

Se a pena for por motivo de punição, então sim... Mesmo a crença de retribuição sendo ao meu ver falha, pelo menos há alguma coerência se suas crenças determinem que todos nós poderíamos ter feito diferente, e que nossa agência de alguma forma é absoluta, logo somos(nossa consciência) os únicos e exclusivos determinadores de nossa ação, algo que é insustentável, mediante o que sabemos sobre o nosso cérebro ao meu entendimento.

Em 19/07/2017 at 10:30, Russell disse:

Se temos um elemento na sociedade que mata aleatoriamente e cruelmente as pessoas normais dessa sociedade, esse elemento deve ser definitivamente apartado da sociedade independente das motivações da sua sociopatia e de não ser algo controlado ou escolhido por ele. Isso para mim é inegociável (intelectualmente falando) e nem tenho interesse em prosseguir uma discussão com quem pensa o contrário.

Bem eu alertaria para o risco de tais convicções principalmente quando se trata de coisas que afeta á outros, porém como já disse eu vejo motivo prático para se restringir a liberdade de tais indivíduos, só não sei se concordados até aqui por mera coincidência.

Em 19/07/2017 at 10:30, Russell disse:

Meu interesse nessa discussão é a forma como o Estado irá garantir que esses elementos jamais toquem um dedo num cidadão novamente,... para conviver em sociedade).

Eu entendi, porém se você apenas me disser o que é certo ou errado para você e não me disser o porque eu não posso saber se o caminho usado é ao meu ver correto, mesmo se eu concordasse com você.

Em 19/07/2017 at 10:30, Russell disse:

Já alcançar as respostas ... elementos da sociedade, e a maneira como isso será feito é que é a grande geradora de polêmica entre as pessoas.     

Eu retirei o que tinha respondido aqui, pois acho que isso pode acabar nos levando para um outro assunto, que por experiência dificilmente é produtivo.

Em 19/07/2017 at 10:30, Russell disse:

Aí mediante isso tudo vc ... Não adianta exigir concordância geral dos outros utilizando a crítica da coerência/incoerência que vc utiliza, sobretudo a lógica, pois é possível sim ter opiniões distintas sobre este tema sem estar afrontando lógica alguma (tão somente a lógica que está na sua cabeça, talvez, assim como na minha e de cada um aqui). 

Os direitos humanos, são irrelevantes para mim, se eu não sei como concluímos os valores de tais direitos, e mesmo se concordasse em completo teria receio se soubesse que o processo é um que eu discorde, pelo risco de futuras alterações ou criações de leis.

Quanto à lógica, eu só entendo esse argumento de cada um tem a sua, se discordarmos dos nossos pressupostos, pois se concordarmos estaremos usando a lógica da mesma forma, só concluindo coisas diferente, porém poderíamos sempre rever esse processo e avaliar aonde divergimos e se ha algum erro de alguma parte.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Galindo

Nessa sua lógica de bem estar a todos, logo não poderia ser suprimido o direito de liberdade das pessoas, logo ninguém deveria ser prezo. 

Quando alguém vai preso, seu direito de liberdade le é subtraído. O direito só voga para o cidadão e não para marginais. Marginais não gozam dos mesmos direitos do cidadão. 

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
18 minutos atrás, Poccnn disse:

Nessa sua lógica de bem estar a todos, logo não poderia ser suprimido o direito de liberdade das pessoas, logo ninguém deveria ser prezo. 

Entendo até o intuito, mas se avaliar a praticidade que é a base do seu argumento como isso faz sentido? Você pode demonstrar isso? O principio lógico de que algo não pode ser o que não é, preza pela praticidade, prender alguém para que ele não impeça a maximação de bem estar de uma sociedade é uma limitação da nossa realidade, algo que eu não tenho como ir contra. Como havia dito a questão é ir alem do absolutamente necessário.

14 minutos atrás, Poccnn disse:

Quando alguém vai preso, seu direito de liberdade le é subtraído. O direito só voga para o cidadão e não para marginais. Marginais não gozam dos mesmos direitos do cidadão. 

Porque, porque e porque? Você de novo está indo para o construto da cidadania, cade o seus pressupostos demonstrados? Direitos legais não podem ser princípios, porque eu preciso de algo antes para determinar-los.

Fui ponto a ponto do que você disse e como resposta você asseri de novo que é assim que deve ser. Maldade:P

1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu acho que tu esteja querendo uma resposta para algo muito elementar da nossa sociedade que é a convivência. 

Galindo, foram criados leis para manter a ordem na sociedade. Quem não segue essa lei está a margem da sociedade e não desfruta dos mesmos direitos deles. Esses direitos tem que ser quitados devido a sua atituda contra a vivência social.

 

Se isso não é um argumento racional, eu não sei o que tu quer que eu diga.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 19/07/2017 at 10:56, Poccnn disse:

Como é que eu ponho isso:

Quando voce for maiorzinho eu explico.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
38 minutos atrás, Brancaleone J disse:

Quando voce for maiorzinho eu explico.

É esse o pente que tu usa? Hehe.

images?q=tbn:ANd9GcQAYa4fmcYJCGw4z8rNRVu

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar Agora