fakiot

Por que ser ateu?

254 posts neste tópico

Sou novo no site e não sou ateu, porém estou buscando respostas.

Na verdade a questão que quero levantar não é uma, mas algumas.

Ateísmo pressupõe-se negação da crença em Deus, isso pressupõe-se uma oposição, uma rivalidade, como PT e PSDB, time vermelho contra o time azul. Somos todos seres humanos, para que levantar uma bandeira dizendo de que lado eu sou? Ser ateu ou teísta e até mesmo agnóstico me parecem tentativas frustradas de auto definição a partir de crenças, o ateu e o agnóstico também pela negação do outro (teísta no caso). Por que não simplesmente aceitar que o mundo é como é independente das nossas decisões e das decisões dos outros? Por mais que essas decisões não nos agradem. Que as justificativas que colocamos sobre ações por pior ou melhor que sejam, são simplesmente justificativas humanas não necessariamente existe uma relação com "A Verdade" se é que isto existe.

Outra questão, a minha definição de Deus é próxima ao que eu entendo da definição de Espinosa em Ética, Capítulo 1. Não vou descrever qual a definição dele pois se eu o fizer será a minha interpretação e cada um deve ter a sua, mas na internet encontram-se várias traduções, talvez em português seja um pouco mais difícil de encontrar, mas enfim. Voltando a minha interpretação sobre Deus, entendo Deus como essência, como aquilo que sustenta tudo que existe e ele existe necessariamente, nem a essência precede a existência, nem a existência precede a essência, ambos em Deus são equivalentes. Essência é algo mais metafísico, mas é aquilo que sustenta o que existe sendo material ou imaterial (se é que existe o imaterial), se tudo for probabilístico, é a potência que permite probabilidade, se determinístico, é a potência que opera sobre as decisões. Enfim, se um Deus como essência, causa de si e consequentemente das coisas não existe, como a existência se sustenta? O Nada produziria algo? Mas se o Nada pode produzir, por que coisas não aparecem, desaparecem ou se modificam aleatoriamente? Estou levando em consideração que o Nada é capaz de produzir e modificar algo a qualquer instante e que as coisas que tem como causa o Nada possuem as mesmas propriedades produtoras e modificadoras que o Nada. Obviamente corro o risco de estar equivocado na definição do Nada ou ser preconceituoso. Por isso gostaria de saber como se explica na visão ateísta o funcionamento da Natureza.

Mais uma coisa, com relação ao racionalismo e sentimentalismo que tanto vejo críticas dos ateístas. Razão e emoção são características humanas e não necessariamente oposição, não haveria uma forma de se encontrar um equilíbrio entre os dois? Digo isso pois acredito que talvez o uso apenas da razão seja limitador para o desenvolvimento do conhecimento humano, a permissão ao se abrir para o inconsciente como proposto por Jung talvez leve o conhecimento a outros patamares. Não sou Junguiano, mas não deixa de ser uma proposta interessante.

Mais outra coisa, com relação à ciência eu entendo que ela produz apenas conhecimento humano e previsões de possíveis fatos. A ciência da forma que é concebida não é capaz de explicar "A Verdade", na verdade talvez até seja se você acreditar que o ser humano como faz parte de Deus assim como a natureza então necessariamente todo o conhecimento produzido possui a mesma essência. Caso a essência não seja a mesma, o conhecimento humano por mais que seja coerente com a natureza é apenas conhecimento humano coincidente com a natureza. Então quanto mais evoluímos com a ciência, mais nos afastamos da "Verdade". Mas de qualquer forma a natureza é como é independente do conhecimento humano, a existência ou não de Deus não muda nada para ela. Eu acredito que se não somos parte da mesma essência, a ciência só deve ser vista como útil para o nosso bem estar, porém se somos parte da mesma essência então a ciência pode ter um significado maior, a de compreender a natureza verdadeiramente embora a natureza não dê a mínima para isso.

O que acham?

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom, eu sou ateu, mas cada um acredite naquilo q quer.

Se quer acreditar em papai noel, vai fundo ...

Não sei se existe um propósito, os teístas acreditam q há um propósito apresentando "provas metafísicas", hehe

Isso aí sinceramente não me convence, por isso q sou ateu. :P

Eu acho q somos consequência de uma série de eventos aleatórios, os átomos se combinam formando vida, a vida evolui até formar seres cada vez mais complexos e dotados de inteligência para continuar fazendo a mesma pergunta  inútil  metafísica de sempre:

Há um propósito ? :D

 

.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, fakiot disse:

Ateísmo pressupõe-se negação da crença em Deus, isso pressupõe-se uma oposição, uma rivalidade, como PT e PSDB, time vermelho contra o time azul.

Não, ateísmo é não acreditar na alegação da existência de deuses, pois não há evidências para tal. Se existissem, acreditar em deus não iria requerer fé.

1 hora atrás, fakiot disse:

Voltando a minha interpretação sobre Deus, entendo Deus como essência, como aquilo que sustenta tudo que existe e ele existe necessariamente, nem a essência precede a existência, nem a existência precede a essência, ambos em Deus são equivalentes.

Se qualquer interpretação de deus é válida mesmo sem qualquer evidência para suportar essa interpretação porque não achar que é o monstro de espaguete voador, é tão válida quanto. Basta alegar que algo precede algo é é isso, nada para ver aqui siga em frente acreditando.

1 hora atrás, fakiot disse:

Enfim, se um Deus como essência, causa de si e consequentemente das coisas não existe, como a existência se sustenta? O Nada produziria algo?

Não se sabe, por isso não pulamos para conclusões sobre o que produziu o que. Você pode levantar uma hipótese e como verificar ela, por exemplo raios e terremotos são frutos da furria divina e não temos como averiguar quando um deus está com raiva, ou ter uma hipótese verificável que chega a conclusão que existe uma causa natural que consegue explicar o fenômeno sem recorrer a metafísica.

Quanto ao nada, se perguntar para um físico teórico ou acompanhar alguns artigos científicos verá que existe a flutuação quântica, é interessante. 

Não sabemos muito sobre o universo ou mesmo o quanto de nada é nada para estipular como no caso de terremotos e raios que é a vontade divina.

1 hora atrás, fakiot disse:

A ciência da forma que é concebida não é capaz de explicar "A Verdade",

Nope, o que produz "verdades" e "certezas" é a religião que sequer admite questionamento. 

Mas para colaborar com você, irei contatar um profissional em determinar que não podemos afirmar nada, a não ser o que ele afirma, e que a ciência não é confiável:

@Ivan de Almeida ta na hora do trabalho, diga que o sabe sobre o saber. :D

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ei, me tira dessa! E sei... bem, sei fazer macarrão com queijo gorgonzola, sei engraxar sapatos, sei dirigir, sei pintar azulejos do meu modo, enfim, sei meia dúzia de coisas. Procuro ser "do bem", procuro saber lidar com as pessoas. Nada sei sobre o universo, sobre a vida mesmo, a não ser viver, pagar as contas.

Tá bom assim? Ou eu tenho de saber algo específico?

1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, fakiot disse:

O que acham?

Eu acho que concordo muito com você. O deus aí é o sentimento de espanto para a existência, sentimento que parece (parece) mostrar que há no existir algo além das contas a pagar. Mas, particularmente, considero um assunto sem resposta, então prefiro não me fazer a pergunta.

 

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@lonewolf Eu não disse nada sobre fé e que Deus precisa de fé, falei sobre Deus como essência, a causa que sustenta a natureza, vamos por exemplo tomar a lei da gravidade, se o universo for completamente aleatório, de nada valeria essa lei, pois os objetos poderiam hora aproximar, hora afastar ou nada. Talvez não seja completamente aleatório, mas sem Deus por que não seria?

Não estou criticando ninguém por ser ateu ou querendo converter, eu mesmo já fui agnóstico simplesmente porque não há como provar a existência de Deus. Hoje eu entendo que na verdade toda a crença é só uma questão de escolha. Talvez seja mais racional não acreditar em Deus, mas é isso que estou levantando como questão, por que seria mais racional admitir a aleatoriedade? Pelo menos foi isso que eu entendi da sua argumentação, me corrija por favor se eu estiver errado.

Não disse que a ciência procura a "Verdade", apesar de alguns cientistas acreditarem nisso.

Quando falei da interpretação de Deus, foi para esclarecer que na minha concepção, Deus não é nem sequer parecido com um ser humano quanto mais ter raiva, e não disse se acreditava ou não, apenas apresentei uma teoria que me parece plausível e estou aberto a contra argumentação ou uma teoria que fosse mais plausível.

Não acho que há problema em ser ateu, o problema é que isso abre margem a acreditar em coisas menos plausíveis que Deus como a ciência por exemplo, que como você disse não produz "verdades". A ciência é plausível. o que não é plausível é a crença nela como "verdade".

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bandeiras?

1. Sou agnóstico, são paulino, nerd e servidor público.

2 . Eu não acredito na existência de nenhum Deus até que sejam apresentadas provas, eu gosto de futebol e torço para o são paulo, eu gosto muito de tecnologia e uso o computador praticamente o dia todo pra lazer, estudo e etc... Eu trabalho para a prefeitura de minha cidade.

Viu a diferença das "bandeiras"? Só servem pra isso.

Não costumo ver ateus ou agnósticos usando a "verdade" como algo além de justificativa humana, isso só religiosos fazem (inclusos os abduzidos por aliens). Aceitar o mundo como ele é, não é uma escolha, e o papel da ciência é justamente descobrir o mundo como ele é, a ciência buscar descobrir o funcionamento de tudo através do método científico, e claro, depois que algo é descoberto aquilo está tudo registrado e pronto para ser testado por qualquer um que tenha interesse o suficiente, novamente, os únicos que não aceitam o mundo como ele é são os religiosos, falando sobre vida pós morte, ou reencarnação, valhala, inferno, purgatório, olímpo. Tudo isso são coisas que não temos como comprovar, portanto, são crenças de quem não aceita o mundo como ele é. Mas este não é o problema, o problema é quando estes religiosos querem te FORÇAR a acreditar na crença deles, seguir as regras deles e servir a crença deles. Usando justificativas de um Deus que não pode ser provado para que todos, mesmo aqueles que não acreditam neste deus, sejam obrigados a seguir.

Sobre a definição de Deus, como eu disse, sou agnóstico, portanto acho sim possível que exista um ou mais deuses, mas frequentemente quando eu tento chegar à uma definição que eu consideraria aceitável eu vejo que aquilo faz muito pouco sentido. Você fala sobre essência, mas em sua definição o seu Deus poderia muito bem ser inconsciente, se tal essência fosse descoberta pela ciência, seria atribuída um nome da mesma forma que as outras coisas já descobertas, e essa essência poderia ser a razão de tudo ser como é, mas não seria considerada um Deus. 

Você possui alguma religião? Você parece ser um agnóstico teísta.

Voltando a falar sobre ciência, a ciência busca explicar TUDO, "ah, mas a ciência não consegue explicar o sobrenatural.", claro que não, mas quando a ciência alcançar uma explicação para qualquer coisa "sobrenatural" aquilo passará a ser natural, afinal, não é natural ter trovões e raios próximos a nuvens carregadas?

Infelizmente testes e descobertas levam anos, décadas ou mais para acontecer, as vezes podem ser investidos milhares ou milhões de reais e muitos cientistas muito bem capacitados em algum projeto e este projeto simplesmente falhar, não dar nenhum resultado positivo. 

Não pude formular muito bem minha resposta porque estou no horário de almoço do serviço, volto a trabalhar em 5 minutos. kkkk

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fé é acreditar em algo sem evidências, independente se o alvo da fé for verdadeiro ou falso, logo, como não temos nenhuma evidência de qualquer divindade, acreditar em deus(es) requer fé.

Leis da Física não precisam ser "validadas" ou "canceladas" por meros seres humanos, elas são o que são e pronto, não importa se as aceitamos, acreditamos ou não nelas ou se as compreendemos, o máximo que podemos almejar nessa questão é sermos capazes de compreendê-las mas certeza no sentido mais restrito é humanamente impossível.

Nada disso colabora com a existência de uma ou mais divindades.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@macarronison Sou espírita atualmente, mas isso não vem ao caso quanto ao questionamento, já fui agnóstico, mas admito que tenho fortes influências de Espinosa.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
10 minutos atrás, fakiot disse:

@lonewolf Eu não disse nada sobre fé e que Deus precisa de fé, falei sobre Deus como essência, a causa que sustenta a natureza, vamos por exemplo tomar a lei da gravidade, se o universo for completamente aleatório, de nada valeria essa lei, pois os objetos poderiam hora aproximar, hora afastar ou nada. Talvez não seja completamente aleatório, mas sem Deus por que não seria?

Não estou criticando ninguém por ser ateu ou querendo converter, eu mesmo já fui agnóstico simplesmente porque não há como provar a existência de Deus. Hoje eu entendo que na verdade toda a crença é só uma questão de escolha. Talvez seja mais racional não acreditar em Deus, mas é isso que estou levantando como questão, por que seria mais racional admitir a aleatoriedade? Pelo menos foi isso que eu entendi da sua argumentação, me corrija por favor se eu estiver errado.

Não disse que a ciência procura a "Verdade", apesar de alguns cientistas acreditarem nisso.

Quando falei da interpretação de Deus, foi para esclarecer que na minha concepção, Deus não é nem sequer parecido com um ser humano quanto mais ter raiva, e não disse se acreditava ou não, apenas apresentei uma teoria que me parece plausível e estou aberto a contra argumentação ou uma teoria que fosse mais plausível.

Não acho que há problema em ser ateu, o problema é que isso abre margem a acreditar em coisas menos plausíveis que Deus como a ciência por exemplo, que como você disse não produz "verdades". A ciência é plausível. o que não é plausível é a crença nela como "verdade".

Só o seu levantamento de que deus existe e que ele é uma essência que sustenta o universo, você já inicia sua premissa com uma presunção baseada em fé  (petição de princípio), a aleatóriedade/causualidade da gravidade e fisicas afins é diferente da ideia de causa INTENCIONAL com uma mente por detrás.

 Sua critica é comum, acho que nunca viu a inversão do ônusda prova, tipo os ateus não devem provar a fé na inexistência de alguma coisa, quando me fazem essa pergunta eu retorno "porquê acreditar" respostas comum são baseadas em crenças como apelo a emoção, ameaça imaginária, apologia a livros ou religião e nunca evidências reais...alguns ão honesto com essa impossibilidade, com a natureza psicológica da fé, outros são extremamente ignorantes ouso dizer que o querem convencer a força, mesmo sem nada crível a oferecer...quando uma pessoa pergunta porque ser ateu eu prefiro responder não precisa ser, não precisa de motivos, seja honesto consigo(evitando duplipensar) mesmo e mais tolerante com outros. Por exemplo é deus mais plausível que a ciência... esse é papo de quem acha que religião é  uma ciência e ciência é uma mentira.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@macarronison Existe um problema no seu discurso quanto a ciência, não consigo encontrar o elo entre ciência e natureza, concordo mais com a definição do @lightman, ao menos foi o que eu tentei explicitar.

Quanto a Deus inconsciente, não sei dizer, a teoria é de apenas um Deus natural, suficiente para sustentar o que existe.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
15 minutos atrás, fakiot disse:

Eu não disse nada sobre fé e que Deus precisa de fé, f

Não disse que você disse, mas sim que é a única coisa que sustenta a crença.

18 minutos atrás, fakiot disse:

vamos por exemplo tomar a lei da gravidade, se o universo for completamente aleatório, de nada valeria essa lei, pois os objetos poderiam hora aproximar, hora afastar ou nada.

A gravidade tem leis que conseguem fazer predições, um planeta no nosso sistema solar foi previsto por cálculos, não há nada aleatório pelo menos no que se trata da ação da gravidade, sua ação é defina pela massa dos corpos.

20 minutos atrás, fakiot disse:

Talvez não seja completamente aleatório, mas sem Deus por que não seria?

Como disse não é aleatório, e mesmo que fosse não significa que deus existe ou não. Não ser aleatório não é prova ou evidência de existência de nada sobrenatural uma vez que segue leis naturais derivadas da composição da matéria.

23 minutos atrás, fakiot disse:

Deus não é nem sequer parecido com um ser humano quanto mais ter raiva, e não disse se acreditava ou não, apenas apresentei uma teoria que me parece plausível e estou aberto a contra argumentação ou uma teoria que fosse mais plausível.

Tudo isso são alegações que não podem ser verificadas, você não tem qualquer evidência para suportar se deus existe. como também não pode afirmar se caso existisse como ele poderia ou não parecer pois ele não estaria a seu alcance. Isso é uma descrição do que é acreditar por fé.

 

 

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Gente, o homem não conhece as razões de "funcionamento" do universo. Basta descer abaixo do átomo que começa e encontrar coisas que são ondas e matéria, e por aí vai. E na física, em certo grau, há probabilidade mais que certeza. E este algo é aquilo que nos certa e que somos. Incognoscível em essência, cognoscivel em termos práticos.

Sei fazer macarrão, isto é um saber prático. Sei ir à Lua (o homem sabe). Sei descrever o que vejo no céu, mais ou menos. Isto é saber prático, não saber essencial.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Se for mesmo importante pra você saber o que motiva (ou desmotiva) as pessoas, eu penso que a pergunta já nem é "por que ser ateu" de uma forma generalizada, mas a cada diferente declarado ateu que você encontrar e se ele estiver a fim de jogar conversa fora "por que você - em particular - é ateu?".

Acho difícil encontrar um grupo de ateus com as mesmas motivações, origens, etc, aliás acho difícil encontrar um grupo de ateus declarados e reunidos; Porque, salvo esse forum e alguns específicos - e nem nele,  você mesmo se declara não ateu - as pessoas que não acreditam ou não tem fé na existência de um deus ou deuses não fazem parte de uma congregação, de um agremiação ou uma fraternidade. Você tropeça em gente na rua que vc não sabe o nome e menos ainda no que ela acredita. Você se depara com gente professando uma crença que bem pode ser só um discurso, oposto do que ela pensa. Você nem sabe que há pessoas que são tidas como descrentes e em silêncio tem lá sua fé. Resumindo, você não sabe quem sãos os ateus, mesmo que eles se declarem, talvez muitos nem mesmo saibam o que são e há ainda os que não estão nem aí com classificações.

Imagino que você esteja falando mais diretamente àqueles que externam seu pensamento, declarando-se ateus e mais diretamente aos que, vamos usar esse termo de um modo genérico "militam" pelo ateísmo. 

Alguns aqui dirão, como já disseram, que defender ateísmo é uma forma de religião. Uns dirão que defender ateísmo é diferente de ter fé. Outros dirão que ateus são "do mal". Por aí vai.

A questão é... na prática, o que me diferencia daquele que está dentro de uma igreja ou segurando uma bíblia? O fato de que ele tem fé em alguma coisa que eu não vejo (nem ele) e eventualmente pode ser que traga sua vida pautada nessa fé ou nessa pertença a uma comunidade? Ok. 

Mas fora isso, não há nada que caracterize aquele que se diz teísta como "mais" ou "menos" nada. Mais generoso, menos perverso, mais mente aberta, menos influenciável... Supor a existência de alguma origem, de algum tipo de diretriz para o universo como o conhecemos não implica em absolutamente nada, como  interação de algum ser onisciente, onipresente e a outra coisa eu esqueci agora. 

Supor apenas ou concluir cientificamente que o universo veio de algum lugar ou vai a algum lugar não nos assegura nenhum tipo de confirmação de que tudo isso vem de um ser específico com tais e tais poderes ou que esse ser determina caso a caso a vida de cada um, ou que somos parte de um grande plano, pelo menos não até o presente momento. 

No fim das contas o que vc vai ter é basicamente gente que acredita na bíblia, no judaísmo, budismo, islamismo só pra pra falar os ismos mais populares ou em algum sistema de crença e de outro lado, grosso modo, gente que acha isso tudo bobagem e que não tem nada a ver. Tem os que vão brigar até o osso pra defender alguma teoria ou seu lado da questão e os que não estão nem aí pra hora do Brasil e só querem viver e deixar viver.

Então o que é isso de "por que" ser crente, não ser crente, provar, não provar?

Como estaria bom pra você? Seria crendo?

Vai com fé, brother!

Descrendo?

Tamo junto, mas nem sabemos da existência um do outro.

Quem tem algo que o aflija além disso que vá atrás de se resolver. Simples assim.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Ivan de Almeida Foi exatamente isso que eu quis dizer, é um saber prático, não essencial. Talvez com a existência de Deus, seja o mesmo. E é isso que me intriga, é só uma coincidência mesmo?

Isso não comprova a existência de Deus, é só uma teoria e nada mais.

Pelo que vejo, a tentativa da maioria é a de não opinar, não criar hipóteses sobre o desconhecido. Isso funciona? Ou vocês estariam apenas em negação como alguns afirmar que teístas estão?

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@fakiot, é bem simples, presumo que você não acredita nos outros milhares de deuses que têm por ai, presumo também que por ser espirita, você tem um deus bem particular, que você acabou selecionando atributos e em algum momento terminou por criar o seu próprio Deus, me corrija se eu estiver errado. Para um ateu a única diferença é que ele também não acredita nesse seu Deus, nada mais, a palavra "ateu" é bem inútil, nós sabemos bem.

Estamos todos procurando pela verdade, religiosos e não religiosos, em geral, a diferença é que religiosos tendem a aceitar a verdade baseados em fé, ateus que são céticos tendem a só acreditar no que existe evidência, e no momento o melhor caminho para se chegar á verdade é a ciência, dizer o contrario é ignorar todos os nossos avanços até o momento, isso logicamente ignorando um argumento epistemológico e semântico do que é a verdade, pois em geral tal argumento é inútil, principalmente quando se asseri que existe uma verdade divina como você fez, algo além de nossa percepção.

O que você chama de teoria são apenas asserções que você se deu o direito de fazer sobre a nossa realidade, você faz varias afirmações e não providência nenhuma evidência do que diz, como cético eu sou obrigado a ignorar, em geral sobre essas perguntas até o momento intestáveis, eu simplesmente não sei, e tenho certeza que todas essas pessoas que eu tenho conhecimento, que dizem que sabem, estão sendo desonestas, não vejo como botar um deus na lacuna de nosso conhecimento é um caminho razoável.

Edit: Para responder a pergunta do post, eu sou ateu por que não acredito até o momento em nenhum deus que me foi apresentado, não foi uma escolha que fiz.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Galindo Desculpe se não fui claro, mas não é possível apresentar evidências de uma definição acredito eu, não é uma questão empírica. Apresentei uma definição e discorri sobre ela, talvez ela não tenha sido clara.

Sugiro que estude essa teoria http://ethicadb.org/ o capítulo 1.

Não estou tentando te converter, apenas tentando alinhar a discussão.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, Ivan de Almeida disse:

Gente, o homem não conhece as razões de "funcionamento" do universo. Basta descer abaixo do átomo que começa e encontrar coisas que são ondas e matéria, e por aí vai. E na física, em certo grau, há probabilidade mais que certeza. E este algo é aquilo que nos certa e que somos. Incognoscível em essência, cognoscivel em termos práticos.

Sei fazer macarrão, isto é um saber prático. Sei ir à Lua (o homem sabe). Sei descrever o que vejo no céu, mais ou menos. Isto é saber prático, não saber essencial.

Por que não existem razões, e para descer abaixo do átomo precisou de pessoas que estudaram e muito para chegar e mesmo aonde há a incerteza, como por exemplo na EQUAÇÃO de SCHRÖDINGER, foi possível ter avanços consideráveis na química e na física.
Interessante essa variação de deus das lacunas, mas nem por isso deixa de ser, "lógica" baseada no conhecimento para tentar minar o mesmo conhecimento, ridículo. 

Essencial é um termo tão raso nessa questão quanto as lacunas preenchidas pelo "incognoscível."

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu acredito que tenha entendido o que você disse e já conheço pelo menos em parte o conceito de Espinosa. Porém corrija-me se eu estiver errado mas essas são asserções sobre a realidade correto? 

3 horas atrás, fakiot disse:

entendo Deus como essência, como aquilo que sustenta tudo que existe e ele existe necessariamente, nem a essência precede a existência, nem a existência precede a essência, ambos em Deus são equivalentes. Essência é algo mais metafísico, mas é aquilo que sustenta o que existe sendo material ou imaterial (se é que existe o imaterial), se tudo for probabilístico, é a potência que permite probabilidade, se determinístico, é a potência que opera sobre as decisões. Enfim, se um Deus como essência, causa de si e consequentemente das coisas não existe

A ciência da forma que é concebida não é capaz de explicar "A Verdade", na verdade talvez até seja se você acreditar que o ser humano como faz parte de Deus assim como a natureza então necessariamente todo o conhecimento produzido possui a mesma essência.

Estava dizendo que você chegou a essas conclusões e as tomou como verdade, na ausência de evidências, e depois perguntou como ateus explicam o mesmo. Falando por mim, eu simplesmente não explico, não vejo como honestamente eu poderia te responder essas questões, eu apenas aguardo mais informação, exatamente como faço com outras perguntas, como por exemplo a de se existe um Deus? Eu não sei, até o momento nenhum que me foi apresentado me parece real, não estou afirmando que nenhum Deus existe, apenas que não acredito em nenhum, até o momento.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
46 minutos atrás, fakiot disse:

Foi exatamente isso que eu quis dizer, é um saber prático, não essencial. Talvez com a existência de Deus, seja o mesmo. E é isso que me intriga, é só uma coincidência mesmo?

Isso não comprova a existência de Deus, é só uma teoria e nada mais.

Pelo que vejo, a tentativa da maioria é a de não opinar, não criar hipóteses sobre o desconhecido. Isso funciona? Ou vocês estariam apenas em negação como alguns afirmar que teístas estão?

Não existe saber essencial, ou tente definir melhor esse termo. Talvez você precise de provas para começar  a justificar a existência de deus. O que deveria te intrigar são suas razões e aprenda uma coisa:
Teoria é um fato comprovado, o que você  tem nem chega a ser uma hipótese, pois não se testa um amigo imaginário.
O que mais temos são hipóteses sobre o desconhecido, mas somente dos modelos de realidade que funcionam sem se basear somente na fé. O problema é que você acha que deus e o restante das coisas sobrenaturais são algo que negamos. Não, não são.  Não podemos negar o que nem sequer é definido e pertencente a esse universo. Quando alguém, quem quer que seja, conseguir provar que essas improváveis baboseiras existem, deixaremos de dizer que elas são tão demonstráveis como o saci e a fada do dente. 

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O que confunde os ateus, e até muitos crentes em geral, é o facto de Deus ter uma personalidade. Assemelha-se muito connosco, e, daí, o ateu é ateu porque não se pode sentar e tomar um café com essa «personagem», Deus. Para os cristãos, ou alguns deles, Deus já esteve cá no planeta. Portanto, os priveligiados que tiveram contacto pessoal - que pertencem à mesma corrente de místicos e religiosos que todos os dias se sentem, de alguma forma, tocados pela presença do divino, seja através de visões, intuições, pura razão, experiência - com Deus, sabem que Deus tem uma personalidade, é Juíz e de infinitos atributos. Para muitos outros é um ser distante, ou mágico.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
11 minutos atrás, AMH disse:

O que confunde os ateus, e até muitos crentes em geral, é o facto de Deus ter uma personalidade.

O que me confunde, é como alguém sabe que Deus existe e como sabe o que ele tem ou deixa de ter?

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
18 minutos atrás, AMH disse:

O que confunde os ateus, e até muitos crentes em geral, é o facto de Deus ter uma personalidade. Assemelha-se muito connosco, e, daí, o ateu é ateu porque não se pode sentar e tomar um café com essa «personagem», Deus. Para os cristãos, ou alguns deles, Deus já esteve cá no planeta. Portanto, os priveligiados que tiveram contacto pessoal - que pertencem à mesma corrente de místicos e religiosos que todos os dias se sentem, de alguma forma, tocados pela presença do divino, seja através de visões, intuições, pura razão, experiência - com Deus, sabem que Deus tem uma personalidade, é Juíz e de infinitos atributos. Para muitos outros é um ser distante, ou mágico.

Eu não fico confuso e duvido que algum ateu fique. Como podemos ficar confusos com uma ideia absurda criada pela imaginação dos crentes? he he.
Agora, eu fico admirado como as pessoas que acreditam em seus amigos imaginários parecem amigos íntimos a ponto de alegarem coisas absurdas e contraditórias como acima, de que "é juíz e de infinitos atributos". Não percebe a bobagem que acabou de dizer?  Como pode alegar que ele julga e que seus atributos são infinitos?
Mas mesmo admirado, eu entendo a razão de tamanha insensatez, é a fé, que engana os sentidos e o raciocínio, a ponto de sentir a presença do divino por "pura razão", o que convenhamos, é ridículo tentar provar tal afirmação.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

"O que confunde os ateus, e até muitos crentes em geral, é o facto de Deus ter uma personalidade."

Bem, o da bíblia, que parece ser o seu, tem personalidade sim e, convenhamos, bastante insana.

"Assemelha-se muito connosco . "

Você deve estar querendo dizer "comigo".

 "o ateu é ateu porque não se pode sentar e tomar um café com essa personagem», "

De fato, como eu não sou "privilegiado" teria que tomar café com um personagem menos discriminador, tipo assim a fada do dente.

1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Claro que vos confunde... confunde-vos eternamente o simples facto, que para vós continua oculto, de que Deus intervém na vida das pessoas, Revela-se. E vocês vão de imediato dizer: mas de onde, ó AMH, de onde, Meu Deus!, te vieram essas inspirações divinas, de onde te vieram essa revelações? (que é o mesmo que dizer: de onde vieram os profetas, os místicos, as vocações dos religiosos, de onde, enfim???)

Bem, se eu disser que foram visões, que «falei» ou «falo» com Deus, que é perfeitamente legítimo, vão logo apodar-me de esquizofrénico, psicótico, etc. É justo da vossa parte, mas incompleto e ignorante. Superficial. É um terreno complicado.

Se eu disser, por outra, que já fui ateu e precisava de medidas radicais com vista à minha transformação espiritual, e, daí, Deus se apresentou sob o manto místico das visões, embora esta seja já, do ponto de vista ontológico, uma explicação menos delirante e mais lúcida, continuareis a chamar-me de esquizofrénico. De que vale a pena revelar o génio a gente que não vê um palmo à frente, e ainda desdenha?

 

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar Agora