Ivan de Almeida

O que é viver/existir.

173 posts neste tópico

Agora, Heidegger disse:

Se você está a fim de pegar uma barriga, procure outro. Sou hétero. 

Está ficando gagá, também, pois acabou de dizer isso. Mas talvez você não tenha entendido que  ser " resiste a toda a tentativa de definição”. (Heidegger, 2009, p. 37) 
Como pode afirmar ?? KKKKKKKKKKKKKKK

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Se você soubesse ler veria que é uma variação sobre mesmo tema. Quanto à Questão do Ser, esqueça. Você não foi provido com equipamento para suportar reflexões neste nível. Reclama com "papai do céu".

1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
13 minutos atrás, Heidegger disse:

Se você soubesse ler veria que é uma variação sobre mesmo tema. Quanto à Questão do Ser, esqueça. Você não foi provido com equipamento para suportar reflexões neste nível. Reclama com "papai do céu".

´Tem razão, não sei ler e sou desprovido de "equipamento" para suportar reflexões no seu nível. Mas eu já passei do nível 404, e você?? KKKKKKKKKKKKK
 Seus insultos corroboram com minha opinião, você adora arrancar a calcinha e pisar em cima. Na verdade, a maior incompetência de um filósofo é não conseguir se comunicar com as pessoas por arrogância. Ainda bem que você é um Zé Ninguém na área, pois se fosse famoso, só teria falsos amigos, de tão pedante.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
19 horas atrás, Heidegger disse:

Se você soubesse ler veria que é uma variação sobre mesmo tema. Quanto à Questão do Ser, esqueça. Você não foi provido com equipamento para suportar reflexões neste nível. Reclama com "papai do céu".

Caraca, a turma anda pegando pesado com o Dilmas, hehe.

Mas são nessas questões q separamos os homens dos micos. :P

Ser ou não ser não é uma questão q não está na agenda do mico. Micos não refletem sobre a reflexão. Eles só vivem. :lol:

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Réquiem por Muitos Maios

 

Conheci tipos que viveram muito. Estão 
mortos, quase todos: de suicídio, de cansaço. 
de álcool, da obrigação de viver 
que os consumia. Que ficou das suas vidas? Que 
mulheres os lembram com a nostalgia 
de um abraço? Que amigos falam ainda, por vezes, 
para o lado, como se eles estivessem à sua 
beira? 

No entanto, invejo-os. Acompanhei-os 
em noites de bares e insónia até ao fundo 
da madrugada; despejei o fundo dos seus copos, 
onde só os restos de vinho manchavam 
o vidro; respirei o fumo dessas salas onde as suas 
vozes se amontoavam como cadeiras num fim 
de festa. Vi-os partir, um a um, na secura 
das despedidas. 

E ouvi os queixumes dessas a quem 
roubaram a vida. Recolhi as suas palavras em versos 
feitos de lágrimas e silêncios. Encostei-me 
à palidez dos seus rostos, perguntando por eles - os 
amantes luminosos da noite. O sol limpava-lhes 
as olheiras; uma saudade marítima caía-lhes 
dos ombros nus. Amei-as sem nada lhes dizer - nem do amor, 
nem do destino desses que elas amaram. 

Conheci tipos que viveram muito - os 
que nunca souberam nada da própria vida. 

Nuno Júdice, in "Teoria Geral do Sentimento" 
0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
22 horas atrás, Heidegger disse:

Se você soubesse ler veria que é uma variação sobre mesmo tema. Quanto à Questão do Ser, esqueça. Você não foi provido com equipamento para suportar reflexões neste nível. Reclama com "papai do céu".

Não mesmo, mas como seu pedantismo é incomparável, fico grato por isso. Ainda bem que és um Zé Ninguém na filosofia, por isso vem aqui, é tão anônimo aqui como na academia. E agradeço a sorte de não ser provido da mesma amarga e ilusória pretensão de ser um douto. Ao vivo eu te destroçaria em uma debate livre. 

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
4 horas atrás, Dimas B L disse:

Ao vivo eu te destroçaria em uma debate livre. 

Ui!

1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
11 minutos atrás, Heidegger disse:

Ui!

images?q=tbn:ANd9GcQNM9ZjCgvIFDZDTxyca9l

Hehe.

2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
16 minutos atrás, Heidegger disse:

Ui!

Como você deve ficar na inércia consideravelmente, tem tempo de editar. Ridículo essa pretensão de mostrar um erro de digitação como se fosse algo relevante, mas a onomatopeia foi reveladora, parece que não irá aguardar muito, he he. 

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
15 horas atrás, Heidegger disse:

Ui!

O indivíduo nasce, cresce
E adentra ao mundo social e politico
Filosófico e artístico
Fica danado, letrado, inteligente e sabido

Conhece tudo, explica tudo
E discute com bastante elegância
Os rumos da catilogência
Fica suave, delicado e aberto
A novas experiências, hehe

Philosofia na caixa. :P

https://m.letras.mus.br/falcao/758193/

Agora falando sério, segundo o pensador Falcão, homem é homem, mas considerando a concepção heideggeriana, como fica a questão do "homem é homem' se é da mesma forma q 'pedra é pedra'?

Temos q nos debruçar com a devida seriedade sobre a questão existencial do ser ...

Com as palavras, heheheheheheidegger. :lol:

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Uau, Atik, acho que deveria ter um tópico só com essas suas escolhas... Sensacional o tape!

 

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Viver não é o mesmo que existir. Viver é mais do que existir, porque viver é um passo além. Uma pedra existe, mas não vive; um homem existe e vive. 

Existência é de difícil definição e vida também. Existe se há, portanto, tudo o que existe é o que há. Mas, para muitos, existência não significa ser encontrado apenas em determinada localização do tempo e espaço, mas na consciência. P. ex., um gato existe porque posso identificá-lo em determinada posição, mas uma fada também existe porque tenho consciência dela, ou seja, posso descrevê-la, caso alguém me peça a descrição de uma fada.

Em Heidegger, contudo, só há existentes no primeiro caso. Ele elimina todo psicologismo, toda autoridade da mente e coloca peso no fenômeno, ou seja, naquilo que se revela diante do observador. Aqui, eu não atribuo qualquer valor ao que surge, apenas interpreto o que está diante de mim. O objeto é que se revela e não a minha mente que lhe dá status de existente.

Para Heidegger, não há níveis de existência mas camadas históricas que devem ser desconstruídas para que o existente possa ser interpretado corretamente. Então, só o que pode ser identificado na história, só o que é histórico é o que existe. Agora, tem de ser interpretado, aliás, tudo é interpretação em Heidegger. 

Diante disso tudo, como posso identificar os que escreverão apenas tolices sobre tais ideias? São gatos ou fadas? 

1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
50 minutos atrás, Heidegger disse:

Uma pedra existe, mas não vive; um homem existe e vive. 

Existência é de difícil definição e vida também. Existe se há, portanto, tudo o que existe é o que há.

A pedra é um ser bruto e o homem é um ser vivo. Ambos existem, são entes ...

Sim, existência e vida são de difíceis definições. O vírus é um exemplo. Pode ser em ser bruto ou um ser vivo, só depende do ambiente.

A existência tem uma questão interessante e complexa q é a consciência da existência. O pensar permite esta autoridade ? ... Penso, logo existem pensamentos. Existem pensamentos? Existem pedras? fadas? Ou estamos todos iludidos?:o

Ou será q estamos falando em campos de mundo, campos de existência onde até fadas, duendes e deuses existem?

Com a palavra o Dr. Heidegger.

1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu estou philosofando. :lol:

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, Ricardo Sandre disse:

A existência tem uma questão interessante e complexa q é a consciência da existência. O pensar permite esta autoridade ? ... Penso, logo existem pensamentos. Existem pensamentos? Existem pedras? fadas? Ou estamos todos iludidos?:o

Ou será q estamos falando em campos de mundo, campos de existência onde até fadas, duendes e deuses existem?

Sim e não. 

Sim, a consciência é muito importante no campo da existência. Mas digo isso cartesianamente. Descartes quando disse: cogito, ergo sum, ou, penso, logo existo, não teve intenção de dizer "penso, logo existem pensamentos", porque isso levaria a qualquer coisa, além de pensamentos, como pedras, fadas, etc. Sua intenção foi "como estou pensando, isso significa que existe alguém, ou seja, um pensador". Descartes usa o ato de pensar para afirmar a existência não do objeto pensado, mas do sujeito pensador, àquele que pensa. Só isso!

Não, não há níveis de existência no sentido de "há uma dimensão onde se podem achar entes não existentes". Fadas, trolls e duendes são encontrados na literatura, só que esta não é uma modalidade ou nível de existência, mas canal de expressão de quem já existe para expressá-los: nós. 

Ser ou não ser não cabe aqui. Para os fins deste fórum deve-se dizer ser e não ser.

1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
13 minutos atrás, Heidegger disse:

Não, não há níveis de existência no sentido de "há uma dimensão onde se podem achar entes não existentes". Fadas, trolls e duendes são encontrados na literatura, só que esta não é uma modalidade ou nível de existência, mas canal de expressão de quem já existe para expressá-los: nós. 

Noosfera? Memes (conceito de Dawkins e da memética)?

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
10 minutos atrás, Heidegger disse:

Nada, mas nada a ver!

Tá...

1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
18 horas atrás, Heidegger disse:

 

Não, não há níveis de existência no sentido de "há uma dimensão onde se podem achar entes não existentes". Fadas, trolls e duendes são encontrados na literatura, só que esta não é uma modalidade ou nível de existência, mas canal de expressão de quem já existe para expressá-los: nós. 

 

Faltou deus ou deuses junto com fadas e trolls, pois não?

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
22 horas atrás, Ricardo Sandre disse:

Com a palavra o Dr. Heidegger.

Prof. Dr. PhD Pós-Doc super-hiper-mega-master-fuckin'-blaster :P

 

1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar Agora