Marcia Helena

Corrupção

1.636 posts neste tópico

Existe corrupção, e a causa está na estrutura, isto é, na forma como uma instituição pública ou estatal se organiza, e se relaciona com entidades privadas e é fiscalizada pelos mesmos órgãos públicos, agências, etc. A corrupção deve ser uma preocupação constante da sociedade quando se desenha em uma estrutura organizacional. Se tal não ocorre, então ela surge. O que é corrupção?

O termo “corrupção” deriva de algo próximo a estragar, decompor, fragmentar a ponto de descaracterizar o objeto. Também descreve a decomposição da personalidade do indivíduo, a má fé, a falta de autenticidade, a falsa consciência permitindo que um indivíduo adote valores antagônicos aos da sociedade, conforme a conveniência da situação, embora ele tenha consciência de seus atos que causam a lesão das instituições públicas. O erro de conduta não vem da ignorância, do desconhecimento, ou mau entendimento, mas da sua má fé. O corrupto é quem sustenta uma determinada conduta “ética”, no geral, e realiza outra ética, antagônica à primeira, em favor de seus interesses particulares e privados em detrimento dos interesses sociais e coletivos. Como o cidadão que critica os “políticos” corruptos, mas tenta não pagar impostos. Ou o que critica o nepotismo, mas ao mesmo tempo em que fura a fila do engarrafamento, pelo acostamento, ou tenta subornar o guarda de trânsito para se livrar de uma multa por infração no trânsito e perdas de pontos na carta de motorista. Mas como a corrupção se legitima?

Essas práticas só existem por resultado de uma “racionalização”. A corrupção se apresenta como uma prática de mercado “eficiente e empreendedora”, capaz de tornar mais ágil a administração. Do mesmo modo que o motorista que fura a fila do trânsito pelo acostamento que acredita ganhar vantagem pessoal. No entanto, é um argumento medíocre o da legitimação da corrupção pela eficiência. De fato, ela apenas onera as estruturas produtivas no geral. A “autonomia técnico-gerencial” de legitimação dos interesses econômicos é o ambiente fecundo para a corrupção, pois é o de menor controle social e político possível. Uma estratégia corriqueira da corrupção, descrita pelos organismos internacionais que estudam e combatem o fenômeno, é que a corrupção está relacionada sempre a reivindicação de maior autonomia possível e centralização para o gerenciamento da administração pública e estatal, de forma a que as opções possam ser apresentadas como “eminentemente técnicas”, dentro de uma racionalidade deficiente. Por isso, o preenchimento de cargos por critérios exclusivamente “técnicos” se situa no exato oposto do combate à corrupção. A capacidade técnica dos ocupantes de cargos de nomeação é tão importante quanto o compromisso para com a publicidade e transparência de suas decisões. Razões de ordem “técnica” não podem ter autonomia absoluta. A ponderação e compartilhamento das decisões são sempre necessários, e o controle político da sociedade é indispensável.

Em termos de “falsa consciência”, a corrupção tem raízes na racionalização que falseia a realidade, para justificar as próprias ações e condutas. No mundo do trabalho, onde opera a corrupção, a falsa consciência que se combina com dois mecanismos, ou seja, o empobrecimento da razão e a artificial separação ideológica entre o “mundo do trabalho”, e “o mundo da vida”, pregada pela ideologia capitalista. Empobrecer a razão significa, reduzi-la aos aspectos puramente pragmáticos e instrumentais. Como se a razão pudesse construir armas de destruição em massa capazes de destruir a humanidade, mas não questionar o seu uso. Ou, no mundo industrial, em construir novos equipamentos e maquinários “modernos” cada vez mais produtivos, com sistemas de segurança cada vez menos eficientes. O capitalismo reserva para a razão o papel do cavalo que puxa a carroça, com viseiras de burro para não se distrair e não saber questionar a irracionalidade do sistema. Ao apartar vida e trabalho, o empregado passa a ser um número, uma peça descartável e substituível. Se ele tem família, se vive do trabalho, isso não interessa. Há resistência, e as crianças ainda afirmam na escola que “meu pai é motorista”, “carteiro”, “advogado”, “médico”, “professor”, "pedreiro", etc. Mas o efeito concreto da lógica dos “mundos separados” é criar uma "moral no trabalho", e outra na vida privada. Podemos dar o exemplo do profissional de segurança no trabalho ou um inspetor que assinam documentos públicos para não desagradar os interesses financeiros da empresa em que trabalham, atestando uma situação sabidamente mentirosa, que envolve perigo e insegurança no trabalho e que depois vai para a escola exigir que a van dos filhos tenha cintos e air-bags. Mas o pior é quando essa conduta dividida se manifesta nas escolhas coletivas que são as eleições. São os efeitos máximos dos “dois eus”. Projetando esse pensamento na esfera pública, o raciocínio bipartido faz com que o eleitor queira se opor aos “escândalos” de corrupção da revista Veja, do Estadão e do jornal O Globo, escolhendo candidato que bate em mulher, ou que tem por hábito o consumo de substâncias “heterodoxas” ilícitas. Um “eu” critica o que supostamente seja o erro básico da sociedade, enquanto o outro “eu” faz escolhas antagônicas ao primeiro movimento. Qual seria o lugar da corrupção, nisso tudo?

5

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Existe corrupção, e a causa está na estrutura, isto é, na forma como uma instituição pública ou estatal se organiza, e se relaciona com entidades privadas e é fiscalizada pelos mesmos órgãos públicos, agências, etc.

Sim , concordo , mas você também não acha que este fenômeno , presente na história da humanidade , encontrado em qualquer lugar , em qualquer sociedade, exige para o combate medidas preventivas mais eficientes das que existem , tentando assim evitar o processo na sua raiz , na sua fonte.

Eu penso que sim , e para tanto compete ao poder público uma ação no sentido de identificar atividades potencialmente corruptas e considerá-las antecipadamente para que seja possível reduzir ou mesmo eliminar as causas do dano.

O espírito aventureiro , do ganho fácil , só é combatido com medidas que dificultam a execução de ações aventureiras , não bastando apenas o direito existir com suas leis e penas previstas ,

Eu acredito , posso estar errado , mas alguém com uma remuneração elevada , dificilmente irá declinar a uma aventura , que poderá ser descoberta e acarretar na perda ou extinção da mesma .

1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Existe corrupção, e a causa está na estrutura, isto é, na forma como uma instituição pública ou estatal se organiza

Acho que a causa está no ser humano. A corrupção é inerente ao humano. Como demonstra a teoria dos jogos, em um sistema de colaboração sempre haverá algum nível de corrupção. Sociedades humanas são sistemas colaborativos, portanto, a corrupção é inerente. Para minimizar a corrupção, criamos controles dentro dos sistemas. Se o controle é frouxo demais, a corrupção se torna generalizada e o sistema entra em colapso. Se o controle é muito rígido, o sistema se paralisa e se torne desfuncional. É preciso achar um ponto de equilíbrio. Aí, a estrutura das instituições é ponto fundamental, não como causa da corrupção, mas, como uma ferramenta que vai maximizar ou minimizar a corrupção, a depender de quanto é transparente e punitiva à corrupção ou autoritária e leniente com esta. Mas, existem outros fatores que também afetam os níveis de corrupção em uma sociedade, tais como a cultura, a tradição, como estas punem ou toleram o corrupto. No fim das contas, a corrupção sempre irá existir, o que determina o volume é a relação entre benefício e risco.

3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Acho que a causa está no ser humano.

Milagre , eu discordo pelo fato de que admito existir pessoas que seja qual for a oferta , por possuir seus princípios muito sólidos , não se desviam um milímetro sequer. Pessoas que construíram ao longo de sua trajetória profissional um nome , uma presença que só por isto , afugenta a coragem de qualquer agente corruptor.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Milagre , eu discordo pelo fato de que admito existir pessoas que seja qual for a oferta , por possuir seus princípios muito sólidos , não se desviam um milímetro sequer.

Quando digo que a corrupção é inerente ao ser humano, não quero dizer que qualquer ser humano é um corrupto em potencial, mas, que dado um coletivo de humanos vivendo sob um conjunto de regras, sempre haverão alguns que irão procurar subverter as regras em benefício próprio, não importa o quão perfeitas sejam as instituições.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Milagre , eu discordo pelo fato de que admito existir pessoas que seja qual for a oferta , por possuir seus princípios muito sólidos , não se desviam um milímetro sequer. Pessoas que construíram ao longo de sua trajetória profissional um nome , uma presença que só por isto , afugenta a coragem de qualquer agente corruptor.

Infelizmente....não. Papo furado Linho!

Veja bem, corrupção esta o instinto de sobrevivência do ser vivente em sociedade, está impregnada no ser humano desde as mais tenras infância. Cito um exemplo: Quem aqui que seja pai, ou mãe que nunca tenha prometido para algum pequeno com um agrado, em troca de alguma obediência?

Viu! Essa coisa vai longe! A corrupção nada mais é que uma troca de favores, ou seja, você me dê algo de que preciso, que eu lhe dou algum dinheiro ou qualquer outro agrado....simples! Acontece em todo lugar....até na casada gente.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Acho que a causa está no ser humano. A corrupção é inerente ao humano.

Se a corrupção é inerente ao ser humano, então por que o nível de corrupção depende dos países ? Clique aqui
1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Se a corrupção é inerente ao ser humano, então por que o nível de corrupção depende dos países ? Clique aqui

Um país é feito de.................................................pessoas! certo?

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Cada vez mais estou convencida de que a Márcia Helena é um perfil fake da Luciana Genro :lol:/>/>

- Querida, qual o problema de alguém deixar de votar em um candidato por julgar que o mesmo é corrupto e passar a votar em um candidato que sabidamente usa drogas? Você está usando o termo corrupção em um tal sentido que considera antagônico quem, digamos, condena como corrupto um candidato por ele ter desrespeitado à lei e ter desviado dinheiro - público - e, ao mesmo tempo, votar em outro candidato que sabidamente é usuário de drogas? Esses dois ''eus'' que citaste são fruto de uma dicotomia mais elementar e natural que deve ser respeitada. Eu posso, muito bem, entender como corrupção alguém desviar dinheiro - público- e não entender como corrupção alguém fazer o que quiser de sua vida privada ; pelo fato de que um afeta diretamente ao grupo e o outro ao indivíduo. Eu não devo satisfação a ninguém por fazer o que eu quiser de minha vida privada, pois estou afetando apenas a mim mesma. Mas devo satisfação para quem eu afeto em minha vida pública-profissional. Só o que me faltava alguém ser julgado como corrupto e perder votos pelo que faz em sua vida privada (desde que isso não afete diretamente a outros - como assassinato, violência doméstica), sendo que está, justamente, propondo administrar um bem ''público''. Não existe antagonismo em julgarmos um político pelo que ele faz ao grupo-público, e não julgarmos o que ele faz na vida privada (a menos que afete diretamente outras pessoas) - pois a esfera do indivíduo deve ser respeitada.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Francieli,

Eu admiro muito o trabalho de Luciana Genro e a sua luta pelas causas sociais, mas não sou ela. A questão posta não é essa. O que se está buscando é uma coerência ética, ou seja, a vida privada está relacionada com a vida profissional. A dicotomia acontece porque para ideologia capitalista, há uma separação ideológica entre a vida privada e a vida pública, pois o trabalho é uma atividade social. O individualismo é apenas o reflexo da forma como está estruturada a sociedade capitalista. No entanto, as empresas aniquilam o "eu" onde as forças de produção são as que determinam e ditam as ações visando a produtividade e lucratividade onde várias questões éticas são esquecidas. Entretanto, a ideologia cria a falsa consciência que tenta induzir a crença em que o indivíduo é dono de si e que a sua vida privada é reservada quando não é, porque vivemos em sociedade. Um candidato a presidência que agride uma mulher não deveria estar concorrendo a eleição, pois cometeu um crime, e existem leis que condenam tal ato. Se ele usa drogas ilícitas seria uma outra questão.

Um país é feito de.................................................pessoas! certo?

Márcio,

Sim, um país é feito de pessoas, mas faltou concluir a sua ideia.

5

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Márcia:

A questão posta não é essa.

Você sugeriu, ao final do texto, exatamente isso que eu disse. A saber, que é antagônico alguém se opor á corrupção de desvio de dinheiro e votar em alguém que, por exemplo, seja um usuário de drogas. Mesmo que eu aceite o que colocaste antes, esse exemplo não se segue. Se isso não faz parte da questão, então arrume o texto.

O que se está buscando é uma coerência ética, ou seja, a vida privada está relacionada com a vida profissional. A dicotomia acontece porque para ideologia capitalista, há uma separação ideológica entre a vida privada e a vida pública, pois o trabalho é uma atividade social.

A separação não é apenas ideológica. Um indivíduo não conseguiria compor um todo saudável sem ser respeitado como indivíduo.

O individualismo é apenas o reflexo da foma estruturada como a sociedade capitalista se estrutura.

Sim. O sistema capitalista é estruturado, como qualquer outro. E não me referia ao individualismo quando citei o respeito à esfera individual. O indivíduo e o grupo deveriam ser respeitados, e, para cada um destes âmbitos devemos ter uma avaliação diferente - isso não implica incoerência, pois a diferença existe. O grupo precisa de indivíduos saudáveis enquanto indivíduos, e, o indivíduo precisa do grupo saudável enquanto grupo.

No entanto, as empresas aniquilam o "eu" onde as forças de produção são as que determinam e ditam as ações visando a produtividade e lucratividade No entanto, a ideologia cria a falsa consciência que tenta induzir a crença que o indivíduo é dono de si e que a sua vida privada é reservada quando não é quando vivemos em sociedade. Um candidato que agride uma mulher não deveria estar concorrendo a eleição, pois cometeu um crime, e existem leis que condenam tal ato.

No capitalismo, sim, somos apenas instrumentos. Mas não ficamos 24 horas trabalhando, nem o tempo todo correndo atrás de dinheiro.

Se ele usa drogas seria uma outra questão

Então, você citou exatamente esse exemplo acompanhado de outro.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O que não quer dizer absolutamente nada que o outro sistema que não é capitalista não seja corrupto.

Sim...aquilo que vcs acham que tem nome comum, existe junto de todos os outros sistemas não capitalistas.

Capitalismo define tudo o que é e não é.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Infelizmente....não. Papo furado Linho!

Possuímos então amigo Dom , referenciais diferentes ,que no caso dos meus , não só sobreviveram como também acumularam alguma riqueza , imune a trocas , barganhas , cujo pano de fundo era eticamente errado.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Penso que a corrupção corrói qualquer estrutura. A estrutura não é a causa da corrupção e sim, a psicopatia.

Quando rouba-se dinheiro público, é certo que se causará males de todas as espécies para com outros seres humanos. Inclusive a morte destes.

E enquanto alguns tem uma subvida ou perdem a vida por causa de outros, estes outros vivem regaladamente a custas destes alguns sem nenhum pesar.

Não conheço outro nome para isto a não ser, psicopatia.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Alguém saberia me responder se a corrupção acontece mais em níveis privados ou em públicos ?

Eu acredito que a maior incidência ocorre no público porque existe a falsa impressão de que o "dono da coisa " está muito ausente.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Estão usando o termo psicopatia em um sentido muito frouxo. Educação em uma família com hábitos corruptos pode gerar a tendência para uma pessoa aderir a hábitos corruptos - isso não quer dizer que a pessoa tenha psicopatia. Acredito que boa parte do povo brasileiro tenha hábitos corruptos, mas obviamente não são gerados por psicopatia. Aqui existe uma cultura de corrupção (talvez eu esteja exagerando, como muitos críticos do povo brasileiro e da cultura daqui - mas é isso que penso).

Por que, especificamente, o desvio de dinheiro público leva à morte de outras pessoas, Liah? Morte por fome?

obs.: ter uma personalidade desmedidamente dominante também pode ser considerado psicopatia.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O ato de prejudicar os outros sem sem importar com isto, é sinal de psicopatia.

Desvio de dinheiro público causa morte de pessoas de várias maneiras. Na falta de investimento à saude pública por exemplo.

Também acho que ter uma personalidade desmedidamente dominante possa ser algum sinal de psicopatia. Mas deve-se somar outros fatores característicos.

Psicopatia e poder, tudo a ver.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sim, querer prejudicar sem sentir empatia com certeza tem relação com psicopatia. Mas a falta de empatia, por si só, não. Existem personalidades que não sentem empatia e tampouco sentem desejo de prejudicar.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sim, tem pessoas que não são empáticas mas não tem nem o desejo e nem a prática de prejudicar o outro.

E mesmo não sendo empáticas, podem chegar até mesmo a ajudar os outros. E quando não ajudam, também não atrapalham.

1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Se a corrupção é inerente ao ser humano, então por que o nível de corrupção depende dos países ? Clique aqui

A corrupção é inerente ao humano, por isso todos os países tem corrupção, como mostra a lista que você citou. Um sistema de incentivo à colaboração e punição à corrupção mais ou menos eficiente afeta os níveis de corrupção para mais ou para menos, como a lista também ratifica.

O que quero dizer com isso? Não esperemos corrupção zero, porque isso é utópico. Apostemos em transparência e responsabilização das pessoas por seus atos, tanto no plano legal quando social, e nos aproximamos do topo da lista dos menos corruptos. Ou sejamos lenientes com comportamentos desonestos e apostemos em sistemas fechados e caminhamos para o fim da fila.

Minha impressão sobre o Brasil é que nas últimas décadas melhoramos um pouquinho no quesito transparência, mas, prioramos na tolerância aos corruptos.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Se a corrupção é inerente ao ser humano, então por que o nível de corrupção depende dos países ? Clique aqui

Posição País Pontuação

Fonte: Transparency International

1º lugar Somália 8

2º lugar Coreia do Norte 8

Caramba, Marcinha, a Pompéia do Norte está emcabeçando a lista dos mais corruptos !

Que cara mais ganancioso é esse tal Kim Ping Pong ... :D

Corrupção se combate com aplicação de leis severas ... Dependendo do ca$o, tirinho na nuca e manda a conta pra pagamento da famiglia.

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

A corrupção é inerente ao humano, por isso todos os países tem corrupção, como mostra a lista que você citou.

Pois é , Milagre, por isso q tem q ter a lei talibã ... amputa a mão. :P

Claro q não devemos chegar a tanto, só tem q ter punição rigorosa. Aqui no Brasil só quem vai pra cadeia são os 3P (Pobretariado, afrodescendente e profissionais do $exo)....

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu penso que a corrupção é basicamente a junção da desorganização estrutural das instituições públicas, da ineficiência na fiscalização e punição aos corruptos e também da parte humana que é conivente com os atos corruptos cotidianos sendo esse último caso variável de acordo com a cultura local. Acredito que uma das maiores válvulas propulsoras da corrupção seja justamente a ocupação de cargos das instituições públicas por meio das políticas do clientelismo onde muitas vezes os critérios necessários para garantir um bom manuseio da administração pública são ignorados. A impunidade também possui participação ímpar, políticos quando corrompem o sistema e são descobertos não são tratados como verdadeiros criminosos e se forem condenados (quando são) recorrem às artimanhas legais e acabam conseguindo prolongar a tramitação dos processos em que são acusados ou então encontram brechas na lei que resulta em uma bruta amenização do impacto da condenação. Porém não acredito que a ma fé seja intrínseca ao ser humano, acho que a boa educação moral aliada a uma boa educação formal possui a capacidade de tornar uma pessoa íntegra em praticamente todos os aspectos. Quem nunca ouviu um "achado não é roubado" ou até mesmo um "e daí? a rua é pública" e o que seria isso se não justamente a falta de compreensão sobre as noções de público e privado? Quando a falta de instrução ética não é sanada, esses conceitos errôneos e prejudiciais ao coletivo passam de pais para filhos como tem acontecido desde que essa terra é colônia de Portugal. Não é de se espantar que a corrupção na classe política e entre pessoas comuns se baseia também no sentimento enraizado na nossa cultura que considera equivocadamente o "público" como "desprovido de normas" e "passível de ser explorado em benefício próprio". Mas isso ocorre porque primeiramente a política desde os primórdios corroeu as possibilidades de educar a população e não o contrário. A política para mim é responsável por moldar as pessoas dessa forma.

3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pois é, Mascara, é uma conjunção de diversos fatores ... biológicos e culturais ...

Haviam dois philósofos com duas crenças opostas, Rousseau e Hobbes ...

O primeiro acreditava q as pessoas nasciam boas, e que o meio cultural subvertia as pessoas ... a utopia romântica de Rousseau era a crença no bom selvagem, e q a $ifilização destruia o lado da bondade humana .....

Em oposição, Hobbes acreditava no oposto, q as pessoas nascem más, e q precisam do Leviatã com suas leis e punições para domesticá-lo ... a educação na base da chibata. :P

Eu sou muito mais Hobbes q Roussau. O francês é um mentiroso. :D

O impulso básico humano é o da $obrevivência na $elva de pedra ... o resto é domesticação, digo, educação.

No caso do bom selvagem, quem domestica é a selva mesmo. :D

http://www.consciencia.org/comparacao-entre-o-contrato-social-de-hobbes-e-rousseau

0

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

A priori, todo mundo tem um preço, mas político é sempre mais caro!biggrin.gif

2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar Agora