Stan

Membro
  • Total de itens

    1.589
  • Registro em

  • Última visita

  • Days Won

    31

Stan last won the day on March 12

Stan had the most liked content!

Reputação

323 Excellent

4 Seguidores

Sobre Stan

Profile Information

  • Gender
  • Location
    Tangamandapio
  • Interests
    filosofia, ciência, música e masturbação.

Últimos Visitantes

988 visualizações
  1. Mas eu concordei com o que vc disse! Como eu disse ali em cima, em certo grau, o machismo é natural em relação a duas mulheres lindas se beijando, pois o homem é mais visualmente excitável que a mulher. Só que quando um homem gosta de mulher, ver dois outros homens se beijando não era pra ser motivo de repulsa, mas sim de indiferença. A questão que se faz é a seguinte: sentimos repulsa (ao invés de indiferença) ao ver dois homens se beijando, pois é nossa natureza? ou sentimos repulsa pois a cultura nos ensinou?
  2. @Russell Você deve levar em consideração que o homem é muito mais visual (excitação pela visão) para sexo que a mulher. Então faz até sentido a cultura ser assim. Porém: @lonewolf Não vi o vídeo, tá inglês e a tradução simultânea é uma bosta! E essa "mulher" aí do meio, karai , que porra é essa?Mas acredito que o que o Russell quis dizer foi que a sociedade transformou a indiferença (no bom sentido) em relação a homossexualidade masculina, em repulsa. Visto que, se comparado aos povos de outrora, isso era algo encarado com naturalidade. Como eu disse, tudo culpa da igreja. Elementar, meu caro Watson!
  3. Como não posso perder a oportunidade de alfinetar a religião... entre os índios mesmo, práticas homossexuais, bissexuais e tudo mais, era visto com naturalidade segundo relatos de cartas de missionários (essas pragas), com o aval de historiadores. Tudo foi tornado pecado pela igreja e sua estupidez em converter os "selvagens".
  4. É machismo eu dizer que prefiro ouvir tais palavras quando pronunciadas por mulheres (belas, se possível)?
  5. E o Pateta?
  6. Agora que vi @lonewolf, havia me esquecido da interrogação (será que meu inconsciente queria culpá-las?)
  7. Pois é, mas ló lembrando que nessa parte eu não afirmei nada. Apenas abri uma discussão. Pois aqui a coisa já fica mais complexa.
  8. 1 - e quem aqui disse que não pode? 2 - Não falamos que essa era a condição específica. Como já disseram, há o lugar, as pessoas, se vai acompanhada etc. 3 - Dependendo do lugar, ela tem que pensar sim, se não quiser ser violentada. E sim, nossa sociedade esta toda errada , "os assassinos estão livres, nós não estamos". Ora, se não era previsível o perigo, ela não teve parcela alguma culpa em ser violentada por quem quer que seja. Ponto final! Agora, se era previsível ela tem UMA PEQUENA PARTE DE CULPA, pois foi negligente ou imprudente. Por que é tão difícil aceitar esse fato. Não citamos só o exemplo da roupa, falamos das roupas, do ambiente, das companhias, das drogas e bebidas envolvidas e, principalmente, falamos da reunião de mais de um desses elementos. E outra coisa, dizer que metade de uma bunda para fora do short não incita nada relacionado a estupro é muito nonsense. 3 - Existindo ou não perfis, se era previsível, tem parte de culpa! Não era previsível? Não tem culpa alguma! (lembrando que existem vários tipos de culpa.com já mencionei na resposta ao milagre) 4 - Cadê as pesquisas? Dizer que a roupa não é uma delas me parece absurdo. Pode não ser a principal, mas duvido muito que não seja uma relevante.
  9. Excelentes colocações, vou até comentá-las: 1 - Perfeito, desde que não contrarie a lei. Pois ninguém tem o direito de expor órgão genital, por exemplo, em local público. 2 - Exato, desde que não seja omisso quando tem o dever legal de agir, por exemplo, se por algum motivo você se viu responsável por uma criança em determinada situação, é seu dever tomar conta da segurança dela, mesmo não a conhecendo. 3 - Claro! Além de um retrocesso, estaria-se estimulando a violência. Mas isso não muda o fato de a vítima ter culpa (EM ALGUNS CASOS), no sentido técnico da palavra, ou seja, foi negligente ou imprudente. 4 - Aqui vou entender que você, com "idiotas", quis dizer "negligentes" e "imprudentes". Concordo totalmente. Diferentemente daquelas mulheres que têm a capacidade mental reduzida e problemas mentais. Essas, incapazes, em momento algum tem culpa, já que não tem noção das coisas. Um debate pode ser aberta em relação as ébrias. Teriam elas UMA PARTE de culpa ao beberem tanto que facilitem o estupro? Mais uma vez, depende do bom senso, ou seja, do lugar, das pessoas, etc. Tem tb a velha discussão sobre dolo eventual (aceita o risco) x culpa consciente (acredita que não vai acontecer).
  10. Eu ia responder, cara, mas o @lonewolf já disse tudo que eu poderia dizer. Aliás, ele te deixou sem argumentos. ashausshuasshau
  11. Exato! Não me refiro às feminazis. Ora, se um delegado zombar de uma mulher que foi ameaçada, deve essa mulher entrar na justiça pedindo indenização por dano e assédio moral. Quanto a gravação, a mulher deve ter, ao menos, ter bons indícios do crime. Imagine a quantidade de extorsão que teria se fosse só a mulher chegar, falar que foi vilipendiada, e já ganhar a causa. Tenho um colega distante que perdeu sua pequena fábrica pagando advogado por ter sido acusado de estupro por uma menina. No final, a retardada (que já era maior) falou que inventou tudo com medo dos pais (medo de que, eu não sei). Em termos trabalhistas, já disse que a mulher é quase privilegiada. Em termos penais, nem tanto, porém, isso atinge a todos, principalmente os pobres. O que se vê então é um problema generalizado: a falta de punição adequada. Caso contrário se reduziria, estupros, machismos contra legem, assassinatos, corrupções, etc. Outro ponto, e que já salientei naquele tópico sobre o estupro coletivo: em que mundo essas mulheres acham que estão vivendo pra sair com short aparecendo metade do rego? Não há dúvidas que certos estupros são, TAMBÉM, EM PARTE, E DEPENDENDO DO LOCAL E DA HORA, culpa das mulheres! Chama-se imprudência! Um dos gritos das feministas é, "queremos andar como quisermos sem sermos estupradas". Ora, quanta estupidez e ingenuidade. Eu gostaria de sair gritando por aí "queremos andar na favela sem sermos roubados". Tem lugar que dá, tem lugar que não dá. Isso se chama realidade. Ser estuprada ao ir comprar pão de shortinho e diferente de ser estuprada, tb de shortinho, no baile funk. Um é previsível, outro não. Pra terminar, que já tá grande esse texto (deu preguiça só de ver), um exemplo: estava eu sentado na fila do hospital, quando uma menina, muito bonita aliás, de uns 20 anos, vai à atendente; essa menina estava com um shortinho que, eu juraria por deus se acreditasse nele, aparecia METADE da bunda (e uma bela duma nádega, com todo respeito). Lógico, não sofro de incontinência sexual, me controlo, tenho minha moral; mas cara, aquilo chama mais atenção do que um biquíni fio dental, simplesmente pelo contraste. Onde quero chegar com todo esse papo? Basta o cara ser um pouco canalha, besta, doente ou psicopata para não resistir aquilo (e homens assim têm aos montes na sociedade). Se ela está num lugar sozinho, à noite, ou regado a putaria, aí que fodeu mesmo (literalmente), tem grandes chances de ser estuprada, e tem cula, pois sabe ou devia saber disso.
  12. Qualquer um que defenda a direita ou a esquerda é um completo retardado. Se algum desses lados não fossem governados por seres humanos, eu até escolheria/apostaria em um lado. O que podemos fazer é tentar eleger algum político que não seja um doido varrido declarado, feito o Trump ou o Bolsonaro. Mas, sei lá, depois da eleição do Trump, acho que não estamos progredindo em porra nenhuma. Infelizmente os imbecis são sempre a maioria.
  13. Pois é, a questão então fica: pra que serve o movimento feminista (o original, pois esse que impera quer são privilégios)? O que elas podem fazer para diminuir esse machismo velado? Ora, basta sempre procurarem seus direitos, nada mais. Daí deduzimos que o machismo é resultado tanto da ignorância masculina, quanto da negligência e inércia das mulheres para com seus direitos já estabelecidos. Por isso digo, feminismo, aqui no Brasil, é só um tampão de vazio existencial. A verdadeira opressão quem sofre são os pobres, tanto homens quanto mulheres.
  14. Te entendo Russell. Seu caso com o machismo irritante na sua cidade é igual ao meu com a religião irritante na minha cidade (sentimos na pele). Por isso esse seu posicionamento. Mas te pergunto: o que as feministas (o movimento original) estão querendo, pois veja, se as leis já asseguram todos os direitos a elas, toda igualdade material, o que mais elas querem, senão privilégios? - Se o patrão não as empregam pq são mulheres, a justiça do trabalho mete o ferre, é processo ganho! (a legislação trabalhista é excelente em relação às mulheres). - Se são agredidas, a lei maria da penha lhes dá direitos. - Se são violentadas, são vítimas como todo resto da sociedade que sofre com a violência e falta de policiamento. - Se o marido diz que elas tem que ficar na cozinha, é só elas meterem-lhe o pé na bunda e arranjarem um emprego (não estamos mais nos anos 50). ENTÃO ME DIGA, RUSSELL, O QUE ESSAS MULHERES QUEREM SENÃO PRIVILÉGIOS?