Brienne of Tarth

Membro
  • Total de itens

    656
  • Registro em

  • Última visita

  • Days Won

    14

Brienne of Tarth last won the day on January 28 2016

Brienne of Tarth had the most liked content!

Reputação

226 Excellent

Sobre Brienne of Tarth

  • Rank
    I am no lady
  • Data de Nascimento

Profile Information

  • Gender
    Female
  • Location
    Terceira Rocha depois do Sol
  • Interests
    Muitos...

Últimos Visitantes

1.052 visualizações
  1. Tá, então estamos no terreno da sua justiça, ou da justiça real? Se você matar alguém vai preso, mesmo que tenha sido o estuprador da sua filha, um crime não desonera o outro, senão acaba com essa porra toda e vamos resolver tudo na base do tiro, porrada e bomba...
  2. Esse papo é bonitinho também, a indiferença do Universo, e blábláblá. Mas não sendo o tal Universo alguém, eu tô tipo Activia com Johnny Walker pra ele, também, fio, bilhões de anos para trás ou para a frente? O don't give a damn...
  3. Correto. O que não quer dizer que você concorda com isso, entendi. O que não entendo é porquê joga com a indiferença sabendo que toda essa situação ( superlotação, condições abjetas de higiene,corrupção em diversos escalões, etc) está errada? Eu admito minha impotência diante da situação da massa carcerária e seu destino, bem como dos desvios da justiça por mares nunca dantes navegados de interpretação das leis, mas o que pode ser feito por nós reles mortais a não ser fazer textão em redes sociais? E sim, eu tenho grande apreço à vida, à minha, principalmente, e comparar outros animais conosco acho até bonitinho, tipo um naturalismo soft para justificar certos comportamentos, porém nenhum animal interferiu tanto, seja para o bem ou para o mal, no nosso planetinha, então sorry, mdfkr, mas eu sou antropo, sim!
  4. Posso garantir de minha parte que esse diagnóstico não foi confirmado. Bem vindo! Wow...bem vindo de novo, mochileiro, que a toalha esteja com você! Preconceito na minha opinião é que nem chifre, é coisa que os outros põem na sua cabeça...
  5. Grifo meu. Quem irá decidir quem deve ou não merecer "ter direito à vida"? Alguns regimes totalitários já operaram (e operam) assim...
  6. Solitáro, eu não vou olhar esse avião porque não é isso que está sendo discutido aqui: eu não compactuo com assassinatos, sejam eles perpetrados por pessoas ou pelo Estado, então no meu entendimento não foi justo, não foi um expurgo e não foi merecido.
  7. Ninguém falou aqui em tratar bandido bem, Branca, estamos dizendo é que matar, matar e matar não é solução, man...
  8. Nem eu estou "arrancando meus cabelos" por causa do que aconteceu no presídio, é que eu tenho certa dificuldade em aceitar massacre de seres humanos, mesmo que sejam assassinos, estupradores e/ou latrocidas; como pessoa vítima de violência, a última coisa que eu queria é que ele fosse morto, mas sim preso e se possível reabilitado. Esse seria o melhor dos mundos, meio distante ainda, eu sei, mas a morte simples é muito pro meu entendimento, mesmo ´porque "justiça" no nosso país é uma piada, então já posso adivinhar quem seriam os "condenados"... http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2014/04/140428_estudo_condenados_morte_pai_ac
  9. Isso pode acalmar a consciência de vocês, mas no meu entendimento algo de muito errado está acontecendo nas diversas unidades prisionais do Brasil, mas existem modelos de espaços para apenados que vão bem, obrigado... "Um dos modelos positivos citados por analistas é o da Apac (Associação de Proteção e Amparo aos Condenados). Ele funciona em mais de 30 unidades em Minas Gerais e no Espírito Santo e abriga aproximadamente 2,5 mil detentos. O modelo tem uma forte ligação com a religião cristã – fato criticado por alguns especialistas. Suas características principais são proporcionar aos presos contato constante com suas famílias e comunidade, ensinar a eles novas profissões - como a carpintaria e o artesanato – e não usar agentes penitenciários armados na segurança. Uma das principais vantagens do sistema é a baixa taxa de reincidência dos detentos no crime – entre 8% e 15%, segundo o CNJ. Nos presídios comuns ela pode chegar a 70%, de acordo com a entidade. Mas para que o modelo dê certo, os presos (dos regimes fechado e semiaberto) que participam dele são cuidadosamente selecionados. Detentos com histórico de violência e desobediência, além de líderes de facções criminosas, geralmente não têm acesso a essas unidades. Mesmo assim, segundo Santos, o índice de fugas ainda seria maior que o do sistema penitenciário comum. "O modelo da Apac é interessante e funciona muito bem para os presos menos perigosos e eles são a grande maioria (da população carcerária do país)" O negritado é meu, e admito que esse tipo de criminoso deve ser mantido em condição distinta. http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2014/03/140312_prisoes_modelo_abre_lk
  10. Branca, normalmente sua toscovisão é acertada, mas vou ter que discordar de você... Senão vejamos: (Apelo ao Sentimento) Esse tipo de falácia ocorre quando se tenta argumentar com alguém que faz uso de fortes emoções ou sentimentos - positivos ou negativos - em vez de apresentar premissas e evidências convincentes. As emoções tipicamente usadas são a inveja, a raiva, o medo - variantes deste caso são chamadas de Apelo à Força - ou o amor, a cobiça, a culpa, vergonha, etc. Sentimentos usados com frequência incluem patiotrismo, noções de cunho familiar, etc. Não há racionalidade no que você disse, espero que tenha sido apenas um desabafo, como o Galindo mencionou, mas colocar entes queridos do lado de dentro de presídios, ou cogitá-los como vítimas não apresenta nenhuma solução ao problema, a propósito. Minha sugestão? Nenhuma que possa ser sequer considerada, haja visto minha total ingerência sobre o assunto, mas temos pistas que poderiam, a curto, médio e longo prazo, melhorar bastante as condições do nosso sistema prisional. O link abaixo contém informações bem completas sobre a situação carcerária atual. http://www.cnj.jus.br/files/conteudo/arquivo/2016/02/b948337bc7690673a39cb5cdb10994f8.pdf
  11. I know, você está aqui para confundir...
  12. Interessante discussão, mas nem tanto ao céu nem tanto à terra, senhores... Senão vejamos: " A taxa de reincidência de prisioneiros libertados nos Estados Unidos é de 60%. Na Inglaterra, é de 50% (a média europeia é de 55%). A taxa de reincidência na Noruega é de 20% (16% em uma prisão apelidada de "ilha paradisíaca" pelos jornais americanos, que abriga assassinos, estupradores, traficantes e outros criminosos de peso). Os EUA têm 730 prisioneiros por 100 mil habitantes. Essa taxa é bem menor nos países escandinavos: Suécia (70 presos/100 mil habitantes), Noruega (73/100 mil) e Dinamarca (74/100 mil). Mais ao Sul, a europeia Holanda tem uma taxa de 87/100 mil, e uma situação peculiar: o sistema penitenciário do país tem "capacidade ociosa" e celas estão disponíveis para aluguel. A Bélgica já alugou espaço em uma prisão da Holanda para 500 prisioneiros. Ou seja, o melhor espelho para os interessados de qualquer país em melhorar seus próprios sistemas, está na Escandinávia e arredores, não nos Estados Unidos. A diferença entre os países está nas teorias que sustentam seus sistemas de execução penal. Segundo o projeto de reforma do sistema penal e prisional americano, descritos na Wikipédia, eles se baseiam em três teorias: 1) Teoria da "retribuição, vingança e retaliação", baseada na filosofia do "olho por olho, dente por dente"; assim, a justiça para um crime de morte é a pena de morte, em sua expressão mais forte; 2) Teoria da dissuasão (deterrence) que é uma retaliação contra o criminoso e uma ameaça a outros, tentados a cometer o mesmo crime; em outras palavras, é uma punição exemplar; por exemplo, uma pessoa pode ser condenada à prisão perpétua por passar segredos a outros países ou a pagar indenização de US$ 675 mil dólares a indústria fonográfica, como aconteceu com um estudante de Boston, por fazer o download e compartilhar 30 músicas – US$ 22.500 por música; 3) Teoria da reabilitação, reforma e correição, em que a ideia é reformar deficiências do indivíduo (não o sistema) para que ele retorne à sociedade como um membro produtivo. As duas primeiras explicam o sistema penal e o sistema prisional dos Estados Unidos. Existem esforços para implantar e manter programas de reabilitação, mas eles constituem exceção à regra. Na Noruega, a terceira teoria é a regra. Isto é, a reabilitação é obrigatória, não uma opção. Assim, o "monstro da Noruega", como qualquer outro criminoso violento, poderá pegar a pena máxima de 21 anos, prevista pela legislação penal norueguesa. Se nesse prazo, não se reabilitar inteiramente para o convívio social, serão aplicadas prorrogações sucessivas da pena, de cinco anos, até que sua reintegração à sociedade seja inteiramente comprovada. Fundamentalmente, acreditamos que a reabilitação do prisioneiro deve começar no dia em que ele chega à prisão", explicou a ministra júnior da Justiça da Noruega, Kristin Bergersen, à BBC. "A reabilitação do preso é do maior interesse público, em termos de segurança", disse. O sistema de execução penal da Noruega exclui a ideia de vingança, que não funciona, e se foca na reabilitação do criminoso, que é estimulado a fazer sua parte através de um sistema progressivo de benefícios — ou privilégios — dentro das instituições penais. O país tem prisões comuns, sem o mau cheiro das prisões americanas, dizem os jornais, e duas "instituições" que seriam lugares para se passar férias, não fosse pela privação da liberdade: a prisão de Halden e a prisão de Bostoy, em uma ilha. A prisão de Halden foi projetada para incorporar a ideia que os noruegueses têm de execução penal, diz a Time Magazine. A pena é a privação da liberdade. Não é o tratamento cruel, que só torna qualquer pessoa em criminoso mais endurecido, diz o governador de Halden. O objetivo é a reabilitação, não a vingança. Mas, os esforços de reabilitação não são exclusivos do sistema. Os detentos são obrigados a mostrar progressos nos treinamentos de qualificação profissional e de reabilitação, para ter direito a desfrutar das "prisões mais humanas do mundo". Se, ao contrário, quebrarem as regras ou se recusarem a fazer sua parte nos esforços de reabilitação, podem regredir para prisões tradicionais. " Isto posto, podemos discutir se o sistema "vingança", como no caso dos trabalhos forçados e pena de morte, são eficientes e/ou eficazes. Fonte: http://www.conjur.com.br/2012-jun-27/noruega-reabilitar-80-criminosos-prisoes
  13. É claro, as melhores prisões do mundo ficam em países comunistas, países aonde os direitos dos cidadãos são respeitados e jamais são presos por discordar do regime. Sim, e certamente os frutos do seu trabalho são distribuídos com equidade, basta ver como ditadores representantes do povo são esbeltos como seus explorados cidadãos. E por aí vai. Sorry, mas essa sua dialética não convence.
  14. Ao invés dos ataques Ad hominem, que tal apontar aonde exatamente ele está errado n as suas afirmações? "Gradicidimais".
  15. Não desclassifique o homem por causa da erva, meu xará também gostava de "dar uns pegas", e nem por isso sua inteligência diminuiu por isso, não generalize, por favor... http://hypescience.com/10-visionarios-de-ciencia-e-tecnologia-que-experimentaram-drogas/