Hiena Implume

Membro
  • Total de itens

    1.360
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

448 Excellent

Sobre Hiena Implume

  • Rank
    Cinicosexual

Profile Information

  • Gender Not Telling
  • Location Botucatu, S.P
  • Interests Niilismo, hienas, os deuses, suicídio, puzzles, cinismo, mais hienas, e sarcasmo.

Últimos Visitantes

10.050 visualizações
  1. Videos Interessantes

    Até 94 núcleos, 188 threads, 2tb de ram, e duas Quadro M6000 24gb!
  2. Uma questão

    Sou um cínico, e um pagão. Afinal não foi um deus que deu uma missão a Diógenes?
  3. Uma questão

    Na verdade o ateu é um mistico e espiritual, ateus estão abarrotados de pensamentos transcendentais (i.e qualquer pensamento que está além da matéria pura e objetivamente quantitativa). Sempre post essa citação, e aqui vai novamente: "Ateu é aquele que acredita em tudo, menos em deuses." (Achaques do Absurdo). Agora, sobre a questão dos urgimento da religião, e dos pensamento metafísico transcendente, ou místico, etc... Surge por motivos de pressão evolutiva, religião é uma EEE (Estratégia Evolutivamente Estável), pois é um comportamento que ajuda a manter grupos de macacos unidos e trabalhando, o que para uma espécie de mamíferos sociais é algo extremamente vantajoso quando o assunto é passar os genes adiante. O cérebro da nossa espécie evoluiu para acreditar em coisas, pois tais crenças ajudam o grupo de mamíferos no qual se encontra, o que por sua vez ajuda na transmissão de genes.
  4. Definindo capitalismo e socialismo

    1, mentira. Isso é basicamente um conceito de todo e qualquer sistema social econômico que não seja o feudalismo. A única diferença nesse ponto é os meios pelos quais sistema diferentes pensam que podem alcançar essa mesma coisa. Hoje os países mais capitalistas, por exemplo, são os com menor desigualdade de renda. O a desigualdade de renda só vem diminuindo durante esses dois século da existência do capitalismo. O problema da desigualdade era na verdade infinitamente pior em sistema anteriores ao capitalismo, como o mercantilismo e o feudalismo, por exemplo, nesse ponto o a vinda do capitalismo só diminui o problema. 2, mentira. Isso também é algo comum entre sistemas socioeconômicos distintos. E na verdade o libertarianismo, que é uma espécie de capitalismo, é o sistema que mais defende direitos e liberdades individuais. Em verdade em questão de direito e liberdade as vertentes liberais do capitalismo defendem muito mais que as vertentes socialistas. Basta ver que os lugares onde as pessoas hoje tem mais direito e liberdade são nos países mais capitalistas. E também a nível de direitos e liberdades era infinitamente pior em sistemas anteriores ao capitalismo, nesse ponto também o capitalismo só vem diminuindo esse problema desde sua implantação. Outro ponto é que o socialismo em verdade preza a supressão de direitos individuais em prol de direitos comunitários. Em questão de direitos o socialismo é mais restritivo que as vertentes liberais do capitalismo. A maior diferença nesse ponto é os meios pelos quais sistema diferentes pensam que podem alcançar essa mesma coisa. 3, Você não verá nenhum país capitalista que pensa assim. Todo país, socialista ou capitalista, tem como objetivo preservar a riqueza geradas no país. Os únicos países aos quais isso não se aplica são países conquistados, ou colônias. A Suíça é o país mais capitalista do mundo, e "preservação das riquezas geradas no país (as riquezas de nosso país, não é dada a estrangeiros)." é quase um lema deles e de todo e qualquer país capitalista de verdade. 4, "máquina substituem empregos humanos" é uma falácia tão pueril e ignorante que dá-me até enjoo ter de explica-la novamente depois de tanto haver escrito isso. Primeiramente, se isso fosse verdade em um gráfico que expressa o nível do desemprego entre países, nós veríamos que os países mais industrializados teriam um índice de desemprego infinitamente maior que países rurais ou semi-industrializados. O que não é verdade, gráfico mundial de desemprego mostra que quando mais industrializado um país, quanto maior o número de ocupações a ciência e a robótica participa, menor o número de desempregados. Se sua proposição fosse verdadeira o resultado dos gráficos deveria ser exatamente o contrário do que é. Também se a sua proposição fosse verdadeira, se compararmos um gráfico do desenvolvimento tecno-científico e robótico com o gráfico com o nível de desemprego nos últimos 500 anos (idade aproximada da ciência, veríamos que o gráfico do desemprego somente cresce no últimos 500 anos ao mesmo tempo em que o gráfico da ciência também cresce. Porém o resultado que temos é exatamente o contrário, no último século o número de desemprego vem diminuindo absurdamente. Se sua proposição fosse verdadeira o resultado deveria ser o contrário, pois esses séculos foram os mesmo nos quais a ciência desenvolveu-se. Agora, como isso acontece? Não é um contrassenso? Se uma máquina tira o trabalho de 20 homens como é que essa máquina faz o desemprego diminuir? Simples. Para construir uma máquina dessa é preciso empregar centenas de pessoas, pois máquinas não saem inteiras do cú das pessoas como grãos de milho. Aquela máquina para ser construída, é preciso haver uma grande quantidade de universidade no país, nas quais centenas de professores e pesquisadores são empregados. Para formar esses pesquisadores, é preciso construir mais escolas e investir e educação, o que gera milhares e milhares de empregos. Um doutor em engenharia robótica para existir precisa que haja no país milhares de outros empregos que o ajudam a forma-se, e isso é um pesquisador. Se existem máquinas em um país que tiram 20 empregos, é precioso existir dezenas e dezenas de universidade com centros de pesquisa para isso, nas quais em cada campus haverá 1000 empregados de serviços gerais. O que também estimulará a criação de empresas de manutenção, o que gera mais centenas de trabalho. E Etc.. Por detrás de cada máquina que tira 20 empregas é necessária existir uma estrutura social que cria 10.000 empregos. 5, nenhum sistema é imune a crises, e o número delas não aumentou com o surgimento do capitalismo no século XVIII. Crises econômicas são algo normal, comum e inevitável. Qualquer livro de história básica demostra que crises sempre foram comuns e frequentes em todos os sistema sócio econômicos que vieram antes do capitalismo. Atém mesmo o feudalismo do Japão medieval com seus Shoguns e Daimyos tinham inúmeras crises frequentes. Falar que é possível eliminar crises é absurdo. Porém falar que é possível diminuí-las é algo sensato, porém dizer que só o socialismo pode fazer isso, que o socialismo é remédio para crise, é também absurdo. O que reduz crises é: um bom governante, e um bom sistema de organização. César como era um gênio militar, político e econômico conseguiu, e fez isso no mercantilismo. A Suíça é o país mais capitalista do mundo e também conseguiu. A Islândia também (países nórdicos tem seu próprio sistema, não são nem socialistas nem capitalistas) também conseguiu. ___________________________________________________ Agora, voltando ao tema do tópico. Como definir capitalismo e socialismo? Simples, capitalismo: economia de mercado, baseada em troca de commodities em bolsas. Socialismo é sistema que nega a abstração do valor de mercado de moedas e commodities, e nega o uso de economia de mercado. Mercantilismo, economia baseada na troca de produtos em mercados não mundiais, podendo ou não haver moeda, mas que se houver não possui valor abstraído no mercado. Feudalismo, modelo econômico onde não existe troca de mercadoria entre pessoas ou qualquer outras coisa que possa trocar mercadorias, somente sistema de impostos entre os donos das terras e seus servos, no qual servos são presenteados com um pequeno pedaço de terra (na Europa comumente pela igreja), na qual tal servo deve produzir o que puder e dar uma parte para quem lhe deu a terra, ou seja, não há sistema de trocas, nem mercado e nem comércio dentro de um sistema feudal fechado, servos produzem e dão um pouco ao senhor ou a igreja, só isso. Eu citei que hoje os países nórdicos possuem um sistema distinto, o nome que lá dá-se, na Islândia pelo menos, é "norræna módelið", o que significa literal e simplesmente "modelo "nórdico". É um sistema baseado em economia de mercado, porém ao mesmo tempo baseado em uma segurança social completa sustentada por impostos.
  5. O Nada existe?

    Mais um tópico com um debate completamente sem sentido causado por uma mal-entendido linguístico. Wittgenstein estava certo, todos os problemas filosóficos são meros mal-entendidos linguísticos
  6. Quando, e como uma coisa pode se tornar uma mentira?

    Não. Eu não estou falando de ontologia aqui, não estou falando sobre o que há ou acontece no mundo empírico. Eu estou falando apenas e exclusivamente sobre proposições, ou seja, as sentenças linguísticas, gramaticais, que dizem algo. Quando digo que há 5000 anos a constante de planck não era nem verdadeira nem falsa, eu não estou falando do mundo físico que constitui o que chamamos hoje de constante de planck, eu estou falando exclusivamente da sentença gramatical que enuncia tal constante. Relativistas dizem que o que há no mundo muda e é determinado com contexto histórico ou pela subjetivo de cada um, ou seja, a ontologia muda de acordo com os tempos. Você sabe muito bem que sou o maior materialista cientificista que é possível encontrar aqui. Em meus posts anteriores eu não estava falando absolutamente nada de ontologia, ou seja não estava falando sobre o mundo e o que há ou acontece no mundo, eu estava falando exclusivamente das frases linguísticas que enunciam coisas. Há 5000 anos a proposição "constante de planck" não era verdadeira nem falsa por tal frase não existia ainda, mas isso diz-se respeito exclusivamente a proposição, o aspecto material do mundo que damos hoje o nome dessa proposição era exatamente o mesmo naquela época, mas a proposição gramatical que expressa tal coisa não era verdadeira nem falsa, pois tal proposição não existia ainda. Nós aqui nesse tópico estamos discutindo exclusivamente os aspectos lógicos internos que aplicamos a frases de uma certa língua para saber se colocamos tal frase na categoria "verdadeira"ou "falsa", não estamos falando do mundo ou sobre o que há no mundo.
  7. Por que a lógica não prova que deus existe?

    Estudei lógica matemática e filosofia da lógica na universidade por 3 semestres. Também fiz parte do grupo de pesquisa da lógica por pouquíssimo tempo, mas. Comecei a escrever uma tese de mestrado sobre isso, mas fui atrapalhado por dois fatores: 1º na época tive um inflamação viral nas córneas e quase fiquei cego; 2º como sou a pessoa mais preguiçosa do mundo, depois que fiquei curado, eu parei com tudo. Sinceramente eu acho que já comecei e parei umas 6 teses de mestrado, afinal, mais uma vez, eu literalmente sou a pessoa mais preguiçosa do mundo.. Considero-me porém um amador no assunto. Depois eu fui procurar no wiki, e devo dizer Russell, faz muito sentido o que você disse.
  8. Mediunidade é esquizofrenia ou mitomania

    Bons tempos eram o de Galeno, que como tratamento da esquizofrenia receitava cócegas nos genitais. As pacientes deveria fazer filas enormes. Mas ai veio a ciência moderna e estragou tudo. Imagine que beleza uma médica lhe fazendo umas "cócegas".
  9. Quando, e como uma coisa pode se tornar uma mentira?

    @Max Delacroy Pragmatismo pode parecer absurdo, mas é a Teoria da Verdade que melhor descreve como se comportam a grande maioria de espécimes Homo Sapiens. É possível dizer que o pragmatismo aplica-se até mesmo as proposições científicas, mas dizer que só ele aplica-se seria um absurdo. Pois Verdade não se refere a ontologia, mas somente uma categoria na qual proposições são colocadas ou não. Então, se Verdade á um somente o nome de um grupo de proposições e não uma conexão ontológica, é possível dizer que proposições científicas só podem ser verdadeira ou falsa se são aceitas na prática (novamente, pragmatismo de "prática") dos cientistas. Assim a proposição "a Terra gira em torno do Sol" só pode ser verdadeira ou falsa de fizer parte da vida e atuação pragmática da ciência. Há 5000 anos atrás essa mesma proposição não era verdadeira nem falsa, pois não fazia parte do pragmático. Eu diria que a as categorias de verdade ou mentira da ciência são feitas de uma mistura das três Teorias da Verdade clássica, Correspondencialismo, Pragmatismo e Coerentismo. Pois para uma proposição na ciência cair na classificação de Verdade, precisa primeira corresponder com a ontologia prévia que a ciência adota, precisa depois fazer parte da vida da ciência, e depois precisa ser coerente com as estrutura e outras proposições já aceitas. Sim, a ciência é pragmática, e como expliquei é impossível a ciência não ser pragmática, afinal como pode uma proposição que nem faz parte da vida dos cientistas e do pragmático da ciência, ser classificada como "verdadeira" ou "falsa"? Para Galileu, por exemplo, a Constante de Planck não era nem verdadeira nem falsa, simplesmente pois não fazia parte da vida, do pragmático, da ciência da época. Então eu julgo que no caso da ciência há uma mistura das três Teorias da Verdade. O Problema com o pragmatismo é quando tal teoria da verdade exclui as outras duas, como é o caso da esfera do resto de nossa espécie, onde sem dúvida dúvida o pragmatismo que impera e exclui as outras duas.
  10. Quando, e como uma coisa pode se tornar uma mentira?

    Simples, por exemplo, imaginemos a proposição "homens devem ter barba longa". No Pragmatismo essa proposição é verdadeira se faz parte do comportamento prático (pragmatismo vem de "prático") da vida das pessoas. Porém se homens terem barba longa para de fazer parte da prática e é esquecida na prática das pessoas, então a proposição "homens devem ter barba longa" que antes era verdadeira agora passa a ser falsa. Ou seja, verdade ou mentira é ditado pela prática, eis o pragmatismo.
  11. Quando, e como uma coisa pode se tornar uma mentira?

    "Quando, e como uma coisa pode se tornar uma mentira?" Isso depende de quais das três Teorias das Verdade você aceita, as três tem problemas, mas podem ser de um ponto teórico igualmente defendidas ou refutadas. 1ª: Correspondencialismo; 2ª Pragmatismo, 3ª Coerentismo. A primeira diz que que uma proposição torna-se mentira quando tal proposição não corresponde ao que é aceito como parte do mundo. A segunda diz que uma proposição torna-se mentira quando tal deixa de fazer parta da vida prática das pessoas e assim é esquecida. E a terceira diz que uma proposição torna-se mentira quando não se encaixa, contradiz-se ou causa incoerência no sistema, ou conjunto, de proposições aceito. Essas são as três Teorias da Verdade clássicas, existem outras, pouco conhecidas e muitas vezes obscuras e de difícil entendimento. O Primeiro Wittgenstein tem uma interessante, que se encaixa na categoria citada de "obscura e difícil de entender", pessoalmente penso, e o próprio Wittgenstein também assim pensa, que essa primeira teoria dele é um absurdo completo e deve ser jogada fora, mas se interessar-se vá lê-la. Uma outra teoria da verdade, que também é obscura e difícil de entender, é a que eu me inclino para, que seria uma forma de Descritivismo, ou seja, baseada em descrições matemáticas meramente. Eu até comecei a escrever uma tese de mestrado sobre essa teoria para qual inclino-me, que de certa forma seria bem original para os padrões de teses de mestrado, mas como eu sou a pessoa mais preguiçosa do mundo, eu parei. Não penso que seria interessante tentar explicar essa outra pequena, esquecida, e obscura Teoria da Verdade aqui, além do que já citei
  12. Por que a lógica não prova que deus existe?

    @Um pensador Primeiro, isso que você está falando é lógica aristotélica, coisa que já foi desprovada com o surgimento da lógica fregeana, e é tratado hoje como mero curiosidade de uma etapa do pensamento grego antigo. Lógica hoje nada mais é do que uma linguagem, uma linguagem formal como a matemática. Ou seja, a lógica nada mais é do que um sistema de códigos artificial e formalmente criados para descrever coisas, exatamente como a matemática. A lógica não é mais a estrutura própria da razão para alcançar verdade (essa é a definição de lógica de Aristóteles no livro que hoje conhecemos como Organon, i.e estrutura correta a ser usada pela razão e ditar o logos para encontrar as verdades). Esse tipo de pensamento sobre lógica não faz absolutamente sentido algum desde o século XIX. Você chegou 2300 anos atrasado com seu argumento aqui nesse fórum, hoje não faz mais sentido, e o que diz sobre lógica nada mais é do que um enunciado absurdo carregado de proposições metafísicas. Hoje dizer que a lógica pode provar algo ontológico é a mesma coisa que o argumento "E eu posso escrever em português a proposição "deus existe" então essa é a prova de que deus existe. Lógica é uma sistema de linguagem fechado em si mesmo que demostra axiomas baseados em pressupostos internos, não existe uma conexão mágica metafísica entre esses axiomas do sistema fechado da lógica (e afinal, de qual lógica? pois hoje existem algumas para escolher entre) com o com ontologia.
  13. Mente x Cérebro

    @Um pensador Primeiramente, o que você disse em seu post inicial é a mesma velha e vazia besteira do argumento "algo só existe se alguém sabe que existe", i.e "o as coisas não existem por si, mas a existência é criada quando um indivíduo pensa sobre tal". O que disse nada mais é do que o velho e batido "argumento" solipsista.
  14. voce foi doutrinado

    1°: Marx; 2°: Mises.
  15. Tempo de trabalho

    Comecei a trabalhar com 11 anos, 8 horas por dia (trabalho físico pesado mesmo). Já tive que dormir em ponto de ônibus em São Paulo, e já fiquei finais de semana inteiros só comendo pão com azeite e sal, e bebendo água, pois não tinha dinheiro para comer. Eu estou em posição sim em dizer que não existe emprego ruim, o ruim é ter que trabalhar.