Todas Atividades

Atualizada automaticamente   

  1. Recentemente
  2. Eu reconheço que a religião influencia e muito a forma como hoje todos nós pensamos. Mas não aceito que hoje, face às descobertas das ciências e da filosofia, que devamos continuar a usar algo tão ilógico para controlar os seres humanos.
  3. A muitos dos filósofos, cientistas e escritores que nós mencionamos por aqui, muito provavelmente a você e eu nos considerariam como seres humanos futeis e superficiais comparativamente com eles... Por outro lado você e eu, em determinados momentos das nossas vidas já fomos mais futeis que hoje somos e no futuro podemos muito bem voltar a sê-lo (é frequente a idade trazer um maior apetite pelo conforto). Porque não aceitar que as outras pessoas também se encontram em fases de maturidade intelectual mais atrasadas ou que pura e simplesmente não tem capacidade ou apetência por formas "superiores" de cultura? Há teorias inclusive que defendem que a evolução genética não é uniforme em todos os seres humanos. Hoje em dia, pelo menos nos países desenvolvidos, qualquer criança tem acesso às artes, aos livros, às ciências, mas não obstante, hoje tal como no passado apenas uma minoria encontra prazer/vocação para estas coisas. Eu me lembro, quando eu era criança, que existia uma biblioteca itinerante que passava na vila uma vez por mês, era gratuita, e os professores incitavam os miúdos a irem ali buscar livros (recorde-se que na altura poucos tinham acesso à futilizadora TV); no entanto, poucos iam buscar livros ou apenas liam os de banda desenhada; eu e mais uns poucos éramos os únicos que líamos livros sem bonecos. Todos pertencíamos à mesma classe social e tínhamos familiares quase analfabetos, e no entanto uns tinham prazer e curiosidade e prazer na leitura, a maioria não. Com a minha filha adolescente passa-se o mesmo, têm acesso à cultura superior (já tentou aprender musica, há livros em casa, procuro que ela veja bons filmes, procuro estimular o seu sentido critico, etc) mas no entanto prefere a cultura light. Isto não dá para forçar, cada um tem que seguir o seu caminho e encontrar os seus próprios interesses, sejam estes a alta cultura/ciência/arte, seja a cultura mainstream. Nós só temos que aceitar, da mesma maneira que o Siddhartha do Hess, aprendeu a aceitar que tem que deixar ir o filho para onde ele quer isso por mais que isso nos custe.
  4. Hoje
  5. Você tende a afirmar que o capitalismo trouxe a futilidade e que esta por sua vez não permite haver liberdade e paz; você defende que uma sociedade melhor que a actual (capitalista) seriam as sociedades primitivas tribais, por isso lhe pergunto se acha que nessas sociedades havia liberdade e paz uma vez que não existiam futilidades capitalistas.
  6. Você reconhece a influência, mas não acredita nela? Você faz a correlação, a seguir chama-a de falsa e eu sou o responsável? Está difícil. WTF?
  7. Bom, me parece que este é um dos principais X da questão. O problema é que vivemos numa sociedade e por mais que sejamos da mesma espécie, o grau de diferenças subjetivas de um indivíduo para outro é bem grande, mesmo considerando as grandes "tribos" que formam aparentes polarizações (como religiosos, por exemplo). Olha, vc tem ideia do quão hoje a religião cristã é fútil para mim? Mas não tem como eu me isolar da cultura cristã e só me resta aceitar quem debruça toda a sua vida nesta crença e conviver numa boa. O mesmo vale para quaisquer outras coisas que significam o mesmo besteirol pra mim e muito provavelmente algo meu que seja um besteirol para outros.
  8. Yesterday
  9. Falando nele:
  10. O próprio nome “bíblia” significa “conjunto de livros”, ou “uma pequena biblioteca”. É natural assim que abunde falta de coesão – ainda que os crentes forcem uma coesão inexistente, e torçam as palavras lá escritas até saírem sangue. Há livros melhores? Possivelmente. Há livros piores? Certamente. Paulo Coelho é um exemplo O problema de colocar tais escritos como totalmente vis é análogo ao de divinizá-los, como o fazem os crentes: sendo um livro (ou conjunto de livros) escrito por pessoas de carne e osso, é natural que ele contenha muitas coisas erradas no meio de muitas (ou pelo menos algumas) coisas certas. Segue meu capítulo favorito de toda a bíblia, Eclesiastes 3, tradução Almeida Revista e Corrigida: Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu: há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou; tempo de matar e tempo de curar; tempo de derribar e tempo de edificar; tempo de chorar e tempo de rir; tempo de prantear e tempo de saltar; tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar e tempo de afastar-se de abraçar; tempo de buscar e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de deitar fora; tempo de rasgar e tempo de coser; tempo de estar calado e tempo de falar; tempo de amar e tempo de aborrecer; tempo de guerra e tempo de paz. Que vantagem tem o trabalhador naquilo em que trabalha? Tenho visto o trabalho que Deus deu aos filhos dos homens, para com ele os afligir. Tudo fez formoso em seu tempo; também pôs o mundo no coração deles, sem que o homem possa descobrir a obra que Deus fez desde o princípio até ao fim. Já tenho conhecido que não há coisa melhor para eles do que se alegrarem e fazerem bem na sua vida; e também que todo homem coma e beba e goze do bem de todo o seu trabalho. Isso é um dom de Deus. Eu sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe deve acrescentar e nada se lhe deve tirar. E isso faz Deus para que haja temor diante dele. O que é já foi; e o que há de ser também já foi; e Deus pede conta do que passou. Vi mais debaixo do sol: no lugar do juízo, impiedade; e no lugar da justiça, impiedade ainda. Eu disse no meu coração: Deus julgará o justo e o ímpio; porque há um tempo para todo intento e para toda obra. Disse eu no meu coração: é por causa dos filhos dos homens, para que Deus possa prová-los, e eles possam ver que são em si mesmos como os animais. Porque o que sucede aos filhos dos homens, isso mesmo também sucede aos animais; a mesma coisa lhes sucede: como morre um, assim morre o outro, todos têm o mesmo fôlego; e a vantagem dos homens sobre os animais não é nenhuma, porque todos são vaidade. Todos vão para um lugar; todos são pó e todos ao pó tornarão. Quem adverte que o fôlego dos filhos dos homens sobe para cima e que o fôlego dos animais desce para baixo da terra? Assim que tenho visto que não há coisa melhor do que alegrar-se o homem nas suas obras, porque essa é a sua porção; porque quem o fará voltar para ver o que será depois dele? (Lembrando que aqui o termo “Deus” póde ser visto figurativamente, ou simplesmente ignorado) Schopenhauer curtiu... E Pete Seeger também:
  11. O cenário nacional além de ser composto por ótimas bandas, vezes as mesmas acabam surpreendendo os ouvintes com a sua sonoridade apresentada, principalmente as que executam um estilo mais seleto igual à essa aqui. O grupo é oriundo de Curitiba, foi formado em 2010, está ativo, e até o momento já lançou três registros em sua discografia, sendo eles, uma demo, um ep, e um full-lenght, o qual deixo o link para o clipe da faixa Dopamina. O álbum possui sete faixas no total, duas delas são instrumentais, o mesmo tem uma duração de pouco mais de 45 minutos, as músicas são fantásticas, tanto nas composições, quanto na sua produção, a sonoridade aqui é bem cadenciada, o instrumental é bastante arrastado, porém muito bem trabalhado, os vocais ocorrem uma alternância, entre o limpo, e o rasgado, além conterem uma atmosfera bem densa, gélida e melancólica, que acaba mesclando elementos do shoegaze, post e doom metal. O álbum inteiro pode ser encontrado na Bandcamp. Aos apreciadores do estilo é impensável não ouvir isso aqui.
  12. @Russell Concordo com praticamente tudo que você falou (inclusive a parte sobre a mulher rsrsr). Até porque acredito que todo mundo é um pouco fútil dentro dos seus próprios conceitos de futilidade. Eu, por exemplo, quando me reúno com os amigos da (da antiga) escola (ainda mais quando estamos em número elevado) só sai besteira e zoação, e eu me divirto demais. Não tem nada filosófico ou "cabeça" na conversa. Ás vezes tb (isso com meus primos, tão velhos quanto eu rsrs) fico jogando mortal kombat do super nintendo por horas. Vez ou outro saio pras festas (hoje chamadas de baladas) e fico na noite ao som de músicas que condeno. Mas o que acontece é que as pessoas são... não vou usar fúteis, vou usar rasas, superficiais, não buscam conhecer, não tem um pingo de senso crítico e são assim 99% do seu tempo (essa é a diferença: o quanto você vive e se dedica a determinada coisa). Há o "viva e deixe viver", mas o meu viver depende de como o outro vive; então, tudo que posso fazer é tentar defender o modo como acho que o mundo deve ser (não estou sendo moralista, como sugere o lonewolf, estou sendo apenas egoísta).
  13. Eu acho que vc está entrando numa via inconclusiva, @Stan. Eu acredito na ideia do R.Dawkins (e de outros biólogos e evolucionistas que comungam da mesma linha) a respeito dos seres vivos serem "máquinas de sobrevivência" dos genes (há muitos livros a respeito mas o mais conhecido é "O Gene Egoísta", um petardo de realismo e análise lógica do que - talvez - sejamos de fato). Bem, a "complexidade" e diferenças hoje dessas "máquinas" através dos bilhões de anos que nos separa da sopa primordial até qui são imensas e o sapiens sem dúvida é um dos mais interessantes. Nós chegamos a um ponto onde na "janela" chamada vida nos sobra tempo ocioso e, ainda mais desafiador, consciência e auto-análises sobre a existência em si (o tudo e o todo). Hoje quando vc propõe uma discussão com alguém sobre a "futilidade", vc adentra num universo relativo o qual jamais se chegará a um denominador comum. Ninguém aqui (ninguém mesmo) exerce apenas as funções vitais biológicas e sociais para viver. Além do respirar, dormir, comer, evacuar, mijar e fazer sexo (biológico), e além do morar, estudar e trabalhar (social), há um universo infinito de outras coisas que nós, a rigor para se manter vivos até cumprirmos nosso "papel" de espalhar os genes (procriar), fazemos para satisfazer aquilo que chamo de "vácuo" da janela. Artes, música, danças, viagens, produtos de consumo (cada um com sua ideia de supérfluo), vaidade corporal, coleções de objetos, religiões, hobbies, jogos esportivos, etc, etc, etc ad infinitum. Vc até pode estabelecer um critério determinando entre duas coisas (dar um prato de comida para um faminto X comprar um CD da Sandy) aquilo que é fútil dentro desses parâmetros, contudo olhando a história da humanidade e a realidade contemporânea das sociedade fica muito difícil entrar nessa malha discutível sobre o fútil. Uma vez eu deixei de ir a um encontro de amigos (um churrasco da galera do trabalho e seus parentes) para assistir o último episódio de uma série de ficção que acompanhei na íntegra. Fiquei alguns dias me culpando pela futilidade da escolha até que de saco cheio disso tudo acabei mandando a mim mesmo tomar no olho do rabo e parar com essas bobagens. Não há absolutamente nada de reprovável em eu ter feito aquela opção. Eu não vou te dizer que aprovo (como coisa que eu tenho que aprovar ou não algo relacionado a outrem, muita arrogância a nossa) o sistema de vida de uma pessoa alienada que só assiste novelas, BBB, futebol e "programas do Faustão" e que não sabe de nada que está acontecendo no país e no mundo, porém não me sinto mais (como me sentia quando mais jovem) no direito de apontar o dedo para este ou aquele estilo de vida e tascar-lhe uma crítica do tipo "mas que pessoa fútil !!!". Nessa altura do campeonato que chegamos como sapiens e o imenso tempo que temos para desfrutar além do papel ordinário que é apenas procriar e passar os genes adiante, acho muito difícil debater sobre a futilidade. Eu faço muitas coisas fúteis (pelo ângulo crítico que vc propõe na discussão) e te confesso que não sei se teria pique pra ficar tantos anos vivos caso fosse me atentar e me manter apenas no rigor do que a vida pede. EDIT: Que mulher maravilhosa, que mulher gostosa, que mulher TUDO !!! Se eu fosse milionário minha futilidade chegaria ao ponto de comprar um anel de diamante pra ela e convidá-la pra passear no meu luxuoso iate pelas ilhas da Polinésia. Uma semana de muita futilidade e pecados
  14. Desenvolva ao invés de ficar com essas perguntas, caraio rsrsrs Tá certo, todos tem sua futilidade. Mas vc usar budistas como exemplo para sustentar seu argumento é um tiro no pé. Essa arquitetura budista é uma das poucas coisas que há de fútil nesta cultura, ainda sim, tal futilidade se destina mais a propósitos espirituais do que a uma demanda por ser melhor que seu próximo num sistema que se alimenta disso. Eu, por exemplo, admiro a arquitetura sacra, mesmo não suportando religiões. ôpa!!! O que é ser um zé ninguém? Então o objetivo é procriar? Mesmo estando em uma sociedade evoluída, onde o processo de conhecimento se iniciou e não pode mais ser detido. Não existem valores, "valor" é o que dá certo pra massa, o que corresponde demanda, o que gera emprego. Você não liga, ou melhor, temos que aceitar (pois eles geram empregos) gente andando de carro com o "batidão" de funk. As crianças expostas a toda merda que a TV e a Internet oferece? Acabar, jamais. Toda contenção contra a natureza humana é destinada ao fracasso e à ruptura. Falo em simplesmente não incentivar tanto. Ou não percebe que por onde andemos ( anão ser no meio do mato) somos bombardeados de propagandas incitando-nos passivo-agressivamente?! O que é melhor: todos amontoados num trem porque a cultura é essa (andar de trem), ou todos amontoados num trem porque a cultura não os privilegiou a ter um carro? Porque de um jeito ou de outro, sempre tem o grupo que anda de trem. Sem que contar o fato de que trem amontoado de gente é um efeito da má gestão pública. Não é possível, lonewolf, que você ache ideal essa cultura merda, toda essa obtusidade. Eu, por exemplo, para ter uma conversa que saia do banal (futebol, novela, vida dos outros, fofoca) tenho quase sempre que ir atrás de determinadas pessoas, ou então entrar aqui no fórum. E não adianta, é o sistema que nutre toda essa porcaria. Se não de quem é então a culpa por tanta ignorância? Caso não ache essa cultura o ideal, saiba que o sistema não deixa ser diferente, tudo por causa da demanda da futilidade. Eu não quero mesmo um país cheio de emprego, prosperidade, mas gente fútil até o pescoço. A "revolução" do PT foi a maior bosta de todas. Deram um pouco mais de dinheiro e direito pro pobre de espírito, mas não deram educação. Resultado: a futilidade atingiu níveis nunca antes visto no Brasil. Se tem uma coisa boa nessa crise é que aquele pobre de espírito merdinha, que com o dinheiro a mais que entrou comprou um carro com som "pancadão", teve que vender o carro. Quantas vezes vc quer que eu admita que sou fútil quanto a isso (e pode muito bem sim ser por causa do sistema... sistema das revistas playboy rsrs). Espero mudar de pensamento quanto a isso, mas é difícil, vê aí: Pra falar a verdade. Acho que a culpa de tanta futilidade é mais da mulher do que do capitalismo. Se elas quiserem mais caras inteligentes, educados e cultos (mas nem por isso feio pra burro, normal) a futilidade iria diminuir 95%. Mas é foda, porque assim evoluímos para querer as belas, elas evoluíram para querer os que lhes deem segurança (que em quase todo sistema significa ter status e ser endinheirado).
  15. A individualidade é sagrada e a $ociedade é um projeto inviável.
  16. E quanto ao seu reparo sobre as mamas descaídas das índias, hein? um fútil soutien era capaz de ser uma coisa boa...
  17. Faltou eu responder a 2ª parte... entendi sim, os peixões e seus comandados... Cai naquilo que eu disse anteriormente, corrupção generalizada, facções comprando até Diretor de Presídio, situação fora de qualquer controle... o bandido de fora presta serviços para o bandido de dentro...
  18. Eu me arrisco a dizer q são 99%. Não são apenas consumo de produtos , temos tbm a procura do consumo do pão espiritual muito apreciado pela sifilizacão pra preencher o vazio eczistencial.
  19. Não pelo capitalismo, por seres humanos. Você pode encontrar futilidade dentro de países socialistas com seus cargos hierárquicos, aonde todo mundo quer ser gerente e ninguém quer ser a formiga operária, dentro de templos budistas (buda coberto de ouro pra que?). Claro você pode ser um zé ninguém que não toma banho mas que conhece nietzsche e um monte de alemão que ninguém entende, nada impede que exista alguém assim, mas provavelmente um empresário iletrado bem vestido que usa perfume francês, que só lê a sessão de esporte mas sabe dançar pagode, fará mais sucesso entre as fêmeas, por mais superficial que seja. Nosso "defeitos" foram moldados pela evolução, quando as mulheres começarem a trocar os homens bem sucedidos, malhados e fanfarrões, por gênios científicos que moram com a mãe e tem barriga de chopp poderemos pensar que é possível acabar com as futilidades. O mesmo para os homens, quando eles pararem de seguirem seus extintos reprodutivos e começarem a ir atrás de mulheres que não depilam as pernas e o sovaco (coisa mais fútil, perna cabeluda eu não quero) mas sabem toda tabela periódica você pode ter alguma chance de uma sociedade não competitiva. A chance de você conseguir sua mulher ideal aumenta se você estiver andando de ferrari e não de ônibus. Ou seja quando humanos não estiverem dispostos a conseguirem o melhor espécime do sexo oposto para reproduzir você pode esperar que o mundo não corra atrás de futilidades. Sim é possível, assim como você pode ser extremamente infeliz na busca obsessiva em não ser fútil e superficial o que também não lhe dará paz ou liberdade. Por exemplo, alguém dizer que prefere andar de trem lotado porque é mais correto e melhor para o planeta mesmo que seja extremamente desconfortável. Essa pessoa está presa ao seus ideais ao ponto de sacrificar seu bem estar pessoal, e essa busca obsessiva de estar politicamente correto, também pode lhe tira a paz por estar sempre preocupado em não ser fútil e a todo momento ficar julgado o que é necessário ou não. Resumindo tem doido para tudo, cada um que se vire com sua obsessão. kkkk te tiro nada, você é que pega leve comigo porque sabe que sou um bufão.
  20. Nas sociedades primitivas (não futeis) havia liberdade e paz?
  21. Acho que vc não compreendeu a minha mensagem.
  22. Sem dizer, que dão muito mole aos presidiários, saída de natal, dia dos pais, dias das mães, visita íntima e o caramba a quatro... Acabar com tudo isso e ficar encarcerado de fato, sem regalias, num presídio padrão, sem luxo, vivendo do básico para comer, dormir, para higiêne pessoal, assistência médica, etc. com dignidade, é o suficiente... E se tentar fugir, fogo nele!
  23. A minha resposta é: Fodam-se os presos até que consigam(se é que irão ou iremos conseguir resolver) resolver essa situação! Por mais que eu nunca me vi nessa situação de escolher o crime a ser honesto, mais por mais difícil que seja, ainda há uma opção de escolha...
  24. Ok. Mas então ao menos você concorda com a futilidade trazida pelo capitalismo, né? Ou agora vai relativizar a futilidade? Vou tentar ser objetivo: o ter ao invés do ser predomina na sociedade. A aparência, o status, a superficialidade no conhecimento, a ignorância (tudo isso faz parte e é alimentado pela futilidade). Você pode dizer "o importante é a paz e a liberdade!". Mas então eu pergunto "será que pode haver paz e liberdade na ignorância, na futilidade, na busca pelo superficial?". Você é uma desgramado, kkkkkkk, me tira em todos os posts. Quero ver responder esse?
  1. Mais Resultados